O Honda City é um dos melhores sedãs médios

14/11/2017 honda city

O Honda City chegou ao mercado nacional de carros em 2009, sem muita pompa. Em outros países, o veículo é vendido como modelo de entrada da montadora japonesa. Entretanto, no Brasil, apareceu nas concessionárias com preços bem superiores aos da categoria popular. Como dito, sem muita pompa — esta veio tempos depois.

O segundo ano de vendas do City no Brasil, em 2010, é, até os dias de hoje, o ciclo de mais sucesso do sedan médio no mercado nacional — foram, ao todo, 35.128 unidades vendidas. Bastante parecido com o irmão, Honda Civic, o City chamou cada vez mais atenção dos consumidores, e adquiriu um prestígio raro em carros dessa faixa de preço.

E, para quem possui um Honda City na garagem, uma boa notícia: vendê-lo, certamente, não será uma tarefa difícil. Confira o post do Guia Instacarro e saiba o porquê disso!

O Mercado do Honda City

No mercado automobilístico, assim como em todos os outros comércios, algumas marcas — nesse caso, montadoras — desfrutam de certo prestígio devido a qualidade dos seus produtos. A japonesa Honda, certamente, é uma prestigiada montadora de carros. No Brasil, seus carros são famosos por serem muito resistentes, de ótimo acabamento e estilosos.

Modelos como o Honda Fit podem até não oferecer uma variedade enorme de equipamentos e acessórios, mas, só por ser dessa montadora, mantém um público fiel até os dias de hoje. Eles não decepcionam nas vendas. Com o Honda City, a história não muda: mesmo sendo apelidado de “mini-Civic”, ele também já foi bem no mercado.

Inclusive, possuir esse apelido não significa estar totalmente abaixo do irmão, não. Na maioria das versões, o Honda City possui os mesmo acessórios e equipamentos do que o Civic, e com uma uma vantagem: em torno de 15% menor no preço de compra. O seu porta-malas, por exemplo, é de 506 litros, enquanto o do irmão é de “apenas” 340.

Ou seja, é sabido que o City é uma ótima opção de sedan médio, com muito dos aparatos que o Honda Civic, seu superior, possui. Vale lembrar: tudo isso por, mais ou menos, 15% a menos do valor. Portanto, se comprar um modelo desses vale a pena para qualquer pessoa, vender, com certeza, não será uma tarefa difícil.

Custo/manutenção do Honda City

Um Honda é um Honda. Disso, todos sabem. E quando falamos isso, o que queremos dizer é que qualquer carro da montadora é confiável, resistente, de ótimo acabamento e custo-benefício. Seja um novo ou mesmo um Honda City seminovo, o veículo dificilmente decepcionará o seu dono na hora “H”.

Algo que prova isso é a sua nota máxima no teste de impacto realizado pela renomada Latin NCAP — Programa de Avaliação de Carros Novos para América Latina e o Caribe. As cinco estrelas obtidas pelo Honda City não são pouca coisa, visto que outros carros de bom mercado, como o Chevrolet Ônix, obtiveram notas pífias.

Por ser um carro resistente, a manutenção também não deverá ser cara. Ainda mais se tratando de manutenções básicas e corriqueiras do dia a dia — mesmo sendo de uma montadora como a Honda, um mecânico comum de bairro pode acabar sendo o suficiente para manter o City em ordem. As revisões também não é algo que deva trazer muitos custos.

Ou seja, o custo-benefício do Honda City realmente é um ponto interessante para quem está pensando em adquirir um. Além de ser de uma montadora japonesa renomada pela qualidade da construção de seus carros, a manutenção do modelo muito provavelmente não causará dor de cabeças ao seu dono — isso quando ele precisar de reparos.

Avaliação Instacarro de venda

Avistar um anúncio escrito “Honda City à venda” pode ser mais do que, simplesmente, ver um classificados de veículos. Pode ser uma oportunidade — ótima, por sinal — de melhorar o nível do seu carro. Mesmo sendo um sedan médio, o City possui equipamentos e acessórios de nível superior, sendo até comparado ao Honda Civic, seu irmão de fábrica.

O modelo é resistente e seguro. Não à toa, adquiriu nota máxima junto a Latin NCAP, que mediu o nível de segurança do Honda City em meio a um acidente de trânsito considerado perigoso. Inclusive, fora essa batidas imprevisíveis, dificilmente a mecânica do carro dará problema — como dito antes no post, um Honda é um Honda, não é mesmo?

Além disso, sua situação de mercado é muito favorável aos donos. Dificilmente o proprietário encontrará dificuldades em vender o seu Honda City, isso devido ao seu forte apelo de mercado. O modelo, realmente, possui qualidades e vantagens relacionadas ao custo-benefício que fazem as pessoas nem pensar duas vezes antes de executar a compra.

Portanto, sendo eu o proprietário de um ótimo Honda City, onde poderia vendê-lo por um preço justo, baseado no valor de mercado do modelo e sem nenhuma dor de cabeça relaciona a burocracia envolvida? Na Instacarro, com toda a certeza! Conosco, o processo demora, no máximo, 90 minutos entre a avaliação do seu carro e bater o martelo para sacramentar a venda. Entre no nosso site e saiba mais!

Venda o seu Honda City em 3 passos

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *