SUVs: os carros grandes que vieram para ficar

29/09/2017 carros grandes

Atualmente, se tem um segmento que está em franco crescimento para se tornar o líder do absoluto do mercado de carros brasileiro, é o SUV. A sigla vem do inglês ‘Sport Utility Vehicle’ (veículo utilitário esportivo, em tradução livre), e se caracterizam por serem carros grandes e espaçosos. Originalmente, quando o Ford Ecosport chegou ao Brasil, em 2003 – considerado o primeiro SUV a rodar no país -, os utilitários eram conhecidos por serem carros enormes, com tração 4×4 e, consequentemente, capazes de andarem em estradas de terra e locais sinuosos, característicos de montanha.

Mais de uma década depois da chegada do Ecosport, os SUVs estão totalmente disseminados nas ruas brasileiras. Não é nada difícil achar, por exemplo, um Honda HR-V ou, mesmo, o próprio Ford Ecosport em uma esquina qualquer. Não só no mercado de carros novos, mas os SUVs também possuem boa presença dentre os usados. O utilitário da Ford, por exemplo, está frequentemente entre os usados mais vendidos do mês, concorrendo até com os melhores carros populares. Já o HR-V, desde o seu lançamento, em 2015, briga forte pelo topo do ranking dos 0 km mais vendidos.

Sem dúvidas, os utilitários esportivos realmente caíram no gosto dos consumidores brasileiros. Tanto que as montadoras estão lançados modelos que não são utilitários como se fossem “mini-SUVs” ou “SUVs compactos”, devido ao sucesso comercial da categoria. Neste post, explicamos o que realmente é considerado um SUV, desde o começo da sua trajetória no país até os dias de hoje, e mostramos, também, alguns desses modelos vendidos como SUV que na verdade são, no máximo, hatches anabolizados. Confira abaixo sobre os carros grandes!

Carros grandes: o que é um SUV?

O que é SUV? Traduzindo ao pé da letra, o SUV é um veículo utilitário esportivo. Normalmente, derivados de caminhonetes, essa categoria remete a carros com capacidade para andar fora da estrada – devido a sua característica tração 4×4 -, sendo, quase sempre, de porte avantajado. No interior, apresentam um design que lembra muito os veículos familiares conhecidos como peruas – ou station wagons, nos Estados Unidos. Em suma: são carros grandes, extremamente espaçosos – podem totalizar até nove assentos para passageiros – e capazes de andar fora da estrada.

Entretanto, esse conceito mudou muito recentemente. O HR-V, SUV mais vendido do Brasil em 2016, não possui tração 4×4, por exemplo. Outros mais recentes, como o WR-V, da mesma Honda, não são nem considerados carros grandes. No máximo, são do tamanho de um hatch ‘musculoso’. Inclusive, a tração clássica do utilitário é algo que parece realmente ter ficado no passado: além do líder do mercado, nem o Creta, o Kicks, o Tracker ou o 2008 possuem a 4×4. No geral, os SUVs atuais são de tração 4×2. Para ser utilitário, tem de ser robusto. Porém, esse conceito está cada vez mais se afastando dos SUVs.

Tração 4×4 ou qualquer atributo que auxilie na capacidade off-road? As pesquisas de mercado indicavam que os donos dos carros grandes, na verdade, utilizavam os seus veículos na cidade. Portanto, as montadoras decidiram investir nos “utilitários urbanos”, sendo o HR-V o primeiro lançado nesse molde. Desde então, vemos cada vez menos modelos verdadeiramente utilitários sendo lançados. Não que isso seja algo ruim, visto que os SUVs estão sendo vendidos como nunca.

O mercado do SUV no Brasil

Carros grandes e altos no Brasil são, sem sombra de dúvidas, tendência. Nos últimos anos, as vendas de SUVs têm crescido cada vez mais no país. Dois modelos da categoria, o Honda HR-V e o Jeep Renegade, ficaram entre os 15 carros mais vendidos de todo o ano de 2016. Desde o lançamento do modelo da Honda, em 2015, a categoria ganha cada vez mais atenção dos consumidores. Não apenas no Brasil, mas em todo o mundo: salões do automóvel de vários países estão repletos de novos SUVs – que serão lançados nos próximos anos. Talvez o fato de se tornarem veículos mais voltados para o segmento urbano tenha alavancado as vendas.

Os utilitários possuem preços muito mais altos que carros populares, mas, ao invés de isso ser um problema, se tornou um estímulo para outro mercado – o de usados. Modelos como a Duster e, principalmente, o Ecosport possuem bons números de vendas entre os seminovos e usados. Para os próximos anos, a tendência é os números crescerem cada vez mais. Não será uma surpresa os SUVs liderarem o mercado em breve.

Cinco SUVs que não são SUVs

Como dito, o termo SUV, hoje em dia, não é muito preciso quando se fala de estilo de veículos. Para se enquadrarem na categoria, basta serem carros altos. Porém, há algumas montadoras que estão extrapolando nesse sentido. Em alguns casos, se o veículo é um pouquinho maior do com um compacto simples, já o consideram um mini-SUV. É o caso do novo Renault Kwid – que, vendo de perto, não engana nem o mais leigo no assunto. Confira alguns casos que são dignos de questionamento:

Honda WR-V

Lançado recentemente, o WR-V tem chamado a atenção dos consumidores e já começa a aparecer com frequência nas ruas. O “mini-SUV” – forma como a montadora japonesa irá posicioná-lo -, entretanto, não passa de um hatch com traços musculosos derivado do Fit. Para quem não possui cacife suficiente para adquirir um HR-V, o WR-V pode ser uma opção.

Mercedes-Benz GLA

Considerado um veículo de luxo, com valor acima de R$ 100 mil, a GLA está mais para um hatch anabolizado do que qualquer outra coisa. Sua carroceria acaba comprometendo o espaço interno, tornando-o um pouco mais baixo do que concorrentes direto do segmento, como a BMW X1 e o Audi Q3.

Renault Kwid

Sem dúvidas, esse é o modelo que mais chama atenção dentre os que estão aqui. A Renault teve a brilhante ideia de lançar o Kwid como um micro-SUV. Sério, um micro-SUV. O maior desafio mesmo é achar algum elemento de utilitário no modelo, visto que ele tem porte para ser comparado com o Volkswagen UP!, um dos menores carros de todo o mercado.

Suzuki S-Cross

Um dos fatores pela qual a Suzuki é conhecida é pelo seu DNA de especialista em desenvolver carros com vocação off-road. Mesmo trazendo tração 4×4 nas versões de topo, o S-Cross não possui carroceria de SUV. No máximo, pode ser considerado um crossover.

Quer vender o SUV para poder trocar para um carro novo? A Instacarro compra o seu veículo em até 90 minutos, sem fazer você passar por nenhuma dor de cabeça. Entre no site para receber uma cotação grátis do seu carro!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *