Aprenda os cuidados necessários para carro com banco de couro

17/01/2019 carro com banco de couro

Há muito tempo que os automóveis são equipados com itens de conveniência a bordo. São diferenciais que interferem no cotidiano dos ocupantes de várias maneiras, ao oferecerem conforto, funcionalidade e até mesmo estética. Por isso, dedicaremos este artigo para apontar os principais cuidados para carro com banco de couro.

Esse revestimento, que foi conquistado pela sua aparência sofisticada e conforto ao toque, já é conhecido há muito tempo pelo brasileiro. Mas tudo tem um preço, não é mesmo? O couro exige um tratamento especial, sendo indispensável que o proprietário aplique nossas dicas em seu cotidiano. Está interessado em prolongar a vida útil dos seus bancos? Então acompanhe a leitura!

Os principais cuidados para carro com banco de couro

Definitivamente, os revestimentos em couro despertam o interesse dos consumidores, até mesmo para além da estética! Afinal de contas, esse material entrega uma facilidade de limpeza extraordinária, exigindo um esforço mínimo para mantê-lo limpo, principalmente, quando comparado com as opções em tecido.

Mas, antes, um lembrete: as dicas abaixo também serão úteis às outras superfícies do veículo, desde que elas sejam revestidas em couro. Portanto, seções da porta, volantes, manoplas de câmbio se beneficiarão com esses cuidados, beleza? Agora, vamos às dicas!

Evitar a exposição solar em excesso

Sim, caro leitor. O Sol pode ser um inimigo silencioso dos seus lindos bancos de couro. Isso acontece porque tanto a exposição solar como a alta temperatura ressecam o material, tornando-o quebradiço e desidratado. Provavelmente, você já viu um revestimento nessas condições, cheio de rachaduras.

Além disso, a exposição ainda causará desbotamentos por toda a superfície. Quando você soma os danos, a perda da cor com as rachaduras, a cabine do veículo apresentará um aspecto de mal cuidado, o que denota a negligência do proprietário.

Isso poderá se tornar um problema ao tentar vender o automóvel. De toda maneira, entendemos que não há como evitar o Sol, ainda mais em um país como o Brasil. Contudo, você poderá ser mais seletivo na escolha dos locais onde estaciona, preferindo lugares cobertos. Além disso, vale considerar a compra de um quebra-sol, para deixar sob o para-brisa sempre que sair do veículo.

Ter cuidado com os objetos pontiagudos

Todo item, grande ou pequeno, que tenha alguma ponta pronunciada, poderá prejudicar os bancos de couro! A única questão aqui será o tamanho do dano. Isso acontece porque os revestimentos em couro são muito tensionados à sua instalação, a fim de garantir uma superfície lisa e esticada.

Sendo assim, qualquer ponto de pressão, centralizado e pontudo o suficiente, conseguirá deixar uma marca. As situações que ocasionam isso são bem cotidianas, como perfurar o assento por causa das chaves no bolso de trás da calça.

Também pode acontecer de jogar as chaves no banco do carona e, então, posicionar uma mochila encima, pressionando o item contra o banco. Situações assim podem acontecer com itens similares e você só perceberá o arranhão ao final da viagem. Portanto, muita atenção com esses objetos, alocando o guarda-chuva no porta-malas, as chaves no porta-luvas, as mochilas no assoalho, ou no porta-malas, e assim por diante.

Não usar produtos contraindicados

Por muito tempo, os bancos de couros eram itens disponíveis apenas nos veículos mais caros do mercado nacional, dificultando o acesso da população ao item. Então, surgiram várias sugestões sobre os cuidados com os bancos de couro que, em sua grande maioria, estavam erradas.

Mas os bancos de couro se popularizaram entre o consumidor brasileiro, estando disponíveis até mesmo nos veículos de entrada. Com isso, os consumidores se conscientizaram — após muita tentativa e erro — sobre os produtos mais adequados para os cuidados com esse material.

Portanto, lembre-se de evitar:

  • produtos com base em álcool, por ressecar o material no longo prazo;
  • removedores e querosene, por desgastar o material pouco tempo após a aplicação;
  • hidratantes de pele humana, por conter uma oleosidade inadequada ao revestimento automotivo;
  • silicone, por obstruir os poros do revestimento, prejudicando a ventilação e comprometendo a higiene interna do veículo.

Limpar e hidratar a cada dois meses

Caso esteja pensando em um procedimento caro e demorado, fique tranquilo! Na realidade, a nossa recomendação é a de que você mesmo higienize os bancos a cada dois meses, para garantir uma cabine limpa, cheirosa e bem cuidada! Inclusive, você precisa diferenciar esse procedimento bimestral daquela limpeza super-rápida, realizada semanalmente.

A semanal consiste apenas na retirada das sujeiras sólidas, como farelos, embalagens e coisas afins. Essa tarefa é bastante fácil de ser realizada, ainda mais ao dispor de um aspirador de pó portátil, daqueles encontrados em lojas de departamento ou camelódromos. Também na semanal, é preciso passar um pano úmido sobre os bancos, dando brilho e retirando a oleosidade residual. Tudo isso pode ser feito em 10 minutos, na sua garagem.

Já a bimestral ataca na prevenção de um problema maior, combatendo o acúmulo de sujeiras e bactérias. Aqui, você deverá adquirir produtos detergentes e hidratantes, desenvolvidos para essa finalidade. Para evitar erros, você poderá comprá-los em uma loja automotiva. Então, basta fazer a aplicação conforme as orientações da fabricante, expostas nas embalagens dos produtos.

Fazer uma higienização completa a cada seis meses

Esse é outro procedimento periódico que será fundamental para garantir o brilho, a lisura e a qualidade dos seus bancos de couro. A higienização e a hidratação semestral podem ser realizadas por você mesmo. No entanto, recomendamos que recorra à ajuda especializada. Inclusive, vale lembrar que os períodos para esse procedimento podem variar de acordo com a sua localização do país.

As regiões litorâneas, geralmente, são as mais prejudiciais ao couro, combinando três fatores: rachaduras pela alta exposição solar, ressecamento pelo uso contínuo do ar-condicionado e desidratação pelo maior teor de sal nas roupas. Por isso, existem cidades que implicam em um cuidado frequente, com períodos de apenas dois meses entre as manutenções completas.

Em vista de tudo isso, reforçamos que existem empresas especializadas nesse revestimento, por todo o Brasil. Esses locais contam com equipes qualificadas e habituadas à manutenção do couro e, caso você queira manter o aspecto de material novo, precisará contar com a expertise dessas oficinas.

Você curtiu esse conteúdo que explica os cuidados para carro com banco de couro? Está interessado em receber mais atualizações do universo automotivo? Então não perca essa chance e nos siga nas suas redes sociais! Você poderá nos encontrar no FacebookInstagramTwitter e YouTube!

descubra como o modelo da instacarro funcionaPowered by Rock Convert

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *