Feirão de veículos: 7 desvantagens de participar

07/05/2018

Você sabe o que é um feirão de veículos? Já participou de algum? Um feirão de veículos é a forma mais popular de se vender modelos de carros usados. Normalmente, acontecem nos fins de semana em um local onde os veículos são expostos. Os carros podem ser observados fisicamente pelos compradores em potencial.

Os veículos podem ser vendidos por pessoas físicas, que desejam se desfazer de seus automóveis ou provém de bancos, seguradoras e frotas de empresas que sofreram renovação. Mas será mesmo uma solução mais econômica e viável participar de um feirão de veículos? E se for um feirão de veículos online?

Acompanhe este post e saiba 7 ocasionais desvantagens de adquirir ou vender um carro nesse tipo de evento.

1. Existe pouca infraestrutura

A infraestrutura para esse tipo de evento é própria e normalmente baixa. Os feirões costumam acontecer em locais de espaço amplo, como estacionamentos de shoppings e de supermercados ou áreas abertas.

Essa estrutura é pouco confortável: os carros são expostos debaixo do sol ou chuva, pois sequer existem locais com sombra para favorecer os veículos, seus vendedores e visitantes.

Ainda que alguns eventos contem com opções para entreter os visitantes, não significa exatamente uma “opção de lazer” no fim de semana. Quando existem banheiros, eles não são adequados para você — e menos ainda para sua família, se ela for acompanhando. Dentro deste contexto, é muito comum encontrar um feirão de veículos em SP.

2. Há insegurança jurídica

O principal problema enfrentado por quem deseja comprar um carro em um feirão de veículos é a insegurança jurídica. O contato feito com o vendedor do veículo ocorre somente naquele momento, no início da negociação e quando de sua conclusão.

Isso torna difícil conseguir localizá-lo futuramente, caso seja necessário. Imagine que muitas vezes é preciso resolver problemas, devido à procedência do carro vendido. Não existirá um contrato de compra e venda com cláusulas, ainda que mínimas, para resguardar os envolvidos naquela negociação.

Até mesmo quem leva os veículos para vender nessas feiras corre riscos, da mesma forma, pela falta de contrato e insegurança diante do paradeiro do comprador.

Além disso, por acontecerem nos finais de semana, muitas vezes aos domingos, a negociação pode não ser concluída naquele dia. Receber e pagar em espécie pode não ser a solução mais segura, e agências bancárias ou cartórios não têm expediente nesse dia. Toda a burocracia da negociação terá de ser cumprida em outro momento.

3. Compra e venda não traz garantia

Hoje em dia, é preciso lembrar que os consumidores possuem direito a garantias quando existe a relação entre fornecedor e consumidor. No caso do feirão, o fornecedor pode ser uma pessoa comum ou um revendedor, e isso não traz segurança alguma para quem está comprando. Ou seja, o consumidor não tem direito à garantia de 90 dias, como está previsto no Código de Defesa do Consumidor.

É bem mais seguro, portanto, negociar uma compra ou venda de um carro por meio de uma revenda devidamente constituída do veículo.

4. Os frequentadores são revendedores

A ideia de que negociar diretamente com o consumidor final, ao invés de propor negociações com revendas especializadas de veículos, permeia o universo dos feirões de carros. Porém, é válido salientar que a maioria dos frequentadores dessas exposições consiste, na verdade, em revendedores.

O ponto negativo para você é que boa parte deles não exerce suas atividades de forma regular, nem tem lojas estabelecidas. Ou seja: essa negociação será igualmente com um revendedor, mas sem os benefícios e garantias que a revenda especializada proporciona, seja para quem compra ou vende um carro.

5. Os compradores não têm foco e são mais especuladores

Para quem pretende vender, aqui está outra forte desvantagem. O fluxo de pessoas nessas feiras é muito grande e, diante das oportunidades, perdem-se os objetivos práticos da compra.

A ideia de que poderá, mais à frente, encontrar uma oportunidade melhor, mesmo já estando diante de uma ótima oportunidade, muitas vezes inviabiliza o fechamento rápido do negócio. Logo, as decisões não são tomadas com praticidade e foco.

Em meio a todo o público, os potenciais compradores são poucos. Como a maior concentração é de revendedores independentes, o número de especuladores aumenta. E sim, algumas pessoas estão lá apenas para exibir seus carros. Tudo isso gera a falsa impressão de que naquele ambiente existem diversas pessoas realmente com intenção de compra, o que nem sempre é verdade.

6. Testar e avaliar o veículo com detalhes? Impossível em feirão de veículos!

O local é cheio, e o espaço é limitado. Normalmente, em um feirão de veículos os carros estão expostos uns ao lado dos outros. Até para abrir a porta pode ficar difícil. Imagine testar o carro ou verificar os seus detalhes?

O espaço comumente exibe grande fluxo de pessoas, o que atrapalha a verificação do carro e o balanço de suas expectativas. Não é possível realizar um test drive, por exemplo. Afinal, o vendedor também tem receio de retirar o carro do local em que se encontra na exposição e acabar ficando sem a vaga para ele depois. O mesmo também acontece com feirão de veículos online.

Dessa forma, as negociações acabam sendo feitas com base apenas no aspecto visual dos veículos, o que pode fazer com que o comprador se depare com sérios vícios ocultos, dias ou meses depois.

7. É difícil saber o histórico do carro

Além da impossibilidade de realizar um test drive, você precisaria levar um mecânico de confiança com você para avaliar o estado do veículo. Outro ponto é que nesses espaços é difícil saber o histórico do carro. Por que o vendedor está querendo se desfazer dele?

Ele pode alegar que teve dificuldades em continuar pagando as parcelas, e aí tudo parece bem. Mas e se, na verdade, se trata de um carro recuperado de uma perda total? E se for um carro roubado? Adquirir um veículo sem saber a procedência exata pode ser um grande risco. É imprescindível verificar toda a documentação do veículo antes, assim como o número do chassi e a ocasional existência de multas.

Comprar um carro ou vender pode não ser uma missão muito fácil. Para ter segurança, é preciso fazer testes e pesquisas sobre o veículo e sobre o local onde a compra está sendo feita. Algumas seguradoras dificultam o serviço se o carro foi adquirido em um feirão de veículos ou leilões, você sabia disso? Portanto, é preciso ter bastante cautela.

O que achou desse post? Foi relevante para você? Então, assine a nossa newsletter e siga acompanhando outros conteúdos interessantes como esse!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *