Pensando em ter um carro sedã? Veja as vantagens e desvantagens

14 de agosto de 2019

O sedã é uma categoria de carro que se tornou a queridinha entre os consumidores brasileiros. Este tipo de veículo se tornou muito procurado por sempre ser tratado como carro “topo de linha” pelas fabricantes, causando o desejo por glamour que muitas famílias almejam.

Com o seu bom espaço interno e, normalmente, bem equipados, o sedã também é conhecido como “três volumes” porque tem três compartimentos bem distintos, que são: o do motor, o dos passageiros e o das bagagens.

Neste post, mostraremos as vantagens e desvantagens do carro sedã. Confira!

A origem do nome “sedã”

A grafia varia e algumas pessoas escrevem “sedan”. Não sabemos com certeza a origem desse nome. Provavelmente, deriva da palavra italiana “sede” (assento) ou “sedia” (cadeira).

O uso da palavra é relativamente antigo. No século XVII, ela era utilizada na Inglaterra associada às liteiras, veículo de transporte com muitos anos de existência. Ela era uma caixa com um lugar para se sentar/deitar e tinha janelas, sendo sustentada por duas varas que eram suportadas por servos ou escravos.

Como designação de um veículo automotor, o termo “sedã” só começou a ser usado nos EUA em 1912.

As vantagens do carro sedã

O espaço maior e o conforto

Muito do conforto do sedã se deve ao espaço maior na parte interna, que permite mais comodidade aos usuários.

A distância entre os eixos é maior no sedã, dando mais espaço às pernas dos usuários que ocupam o banco traseiro do carro.

Às vezes, o veículo também conta com um tanque de combustível — mas essa não é uma característica de todos os sedãs. De qualquer maneira, os carros que apresentam um tanque maior de combustível podem rodar mais tempo sem a necessidade de reabastecimento.

O porta-malas mais amplo também confirma o espaço maior do veículo, permitindo conduzir mais volume em uma viagem.

O carro para famílias

Trata-se de um modelo de automóvel muito recomendado para famílias. Seu espaço interno maior permite acomodar as crianças com mais comodidade e até algum animal doméstico, como gato ou cachorro.

O porta-malas mais amplo favorece o transporte de uma bagagem maior, principalmente quando se trata de uma viagem mais longa, levando muitos objetos, como roupa de cama, ventilador, brinquedos, bola de futebol e outras coisas.

O sedã confere mais privacidade e segurança extra, o que é fundamental para uma viagem com a família. Ele é bem mais estável que um carro hatch.

A higiene e o conforto térmico

Em relação à higiene, o carro sedã também oferece algumas vantagens. Existe uma barreira mais extensa entre o porta-malas e o volume do meio, que é ocupado pelo motorista e pelos passageiros (cabine), o que ajuda a evitar o acúmulo de sujeira e reduz a troca de odores.

Esse aspecto também impede e/ou reduz a troca de temperaturas entre o porta-malas e a área ocupada pelos passageiros, promovendo, assim, maior conforto térmico.

O melhor desempenho nas rodovias

Comparando ao hatch, os caros sedãs, além de mais estabilidade, também oferecem, em média, maior potência, maior torque e cilindradas.

Dirigir um carro assim na estrada é mais agradável, já que nas estradas a velocidade sempre tende a ser mais alta e mais constante.

A tecnologia embarcada

Os sedãs também costumam oferecer mais tecnologia embarcada do que os hatches, mesmo que isso não seja uma regra, ou seja, é perfeitamente possível encontrar um hatch muito bem equipado com sensores, chips, telas e comando no volante.

Essa tecnologia promove melhorias na segurança e aumenta o conforto, deixando a parte interna do automóvel bem mais sofisticada e luxuosa.

As ferramentas podem envolver computadores de bordo, sensores de temperatura de ar, sensores de estacionamento (instalados nos para-choques, ajudando a fazer a baliza), sensores de chuva, sensores crepusculares (desligam ou acendem os faróis conforme a claridade disponível no ambiente), sensores de fadiga (emitem alertas de perigo se perceberem que o motorista está muito cansado, sonolento).

Pode haver ainda: assistentes de estacionamento (recurso que identifica um espaço compatível com as dimensões do veículo e efetua o estacionamento sozinho), integração com celular, freios anticolisão, Wi-Fi no carro e outras coisas.

As desvantagens do carro sedã

Mas, como nem tudo são flores, o carro sedã também apresenta algumas desvantagens.

As manobras e o estacionamento

Por serem carros maiores, com uma porta-malas que se projeta além do vidro traseiro, as manobras e o estacionamento podem se tornar mais difíceis.

Em uma vaga de estacionamento comum, paralela ao meio-fio, é preciso um espaço maior para caber o carro.

No momento de efetuar a baliza, aproximando-se do carro que está atrás, motoristas que ainda não se habituaram a dirigir um sedã podem sofrer com uma baixa noção de proximidade e acabam não sabendo quando parar, encostando ou até amassando o veículo que está na traseira.

Como alguns carros vêm com ferramentas tecnológicas apropriadas, essas ações acabam se tornando menos complicadas ou relativamente simples.

A maior parte dos sedãs atuais conta com sensores de traseira ou uma câmara de estacionamento. O sensor dispara quando o sedã está se aproximando demais do outro carro. A câmera possibilita ao motorista visualizar tudo que está atrás do veículo em uma tela do painel.

Os gastos maiores

Pelo fato de serem maiores (principalmente maior espaço interno) e disporem, geralmente, de mais tecnologia, os sedãs são mais caros. Quanto mais recursos tecnológicos eles apresentarem, mais caros serão.

Outra coisa que ajuda a encarecer o produto é sua maior potência. Carros mais potentes custam mais. Além disso, uma maior potência contribui para consumir mais combustível, o que não é nada bom para o motorista com o preço do combustível atualmente.

O IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), que é pago uma vez ao ano, é calculado sobre o valor venal do carro sedã. Logo, se o carro é mais caro, o IPVA também é.

A manutenção também se torna mais cara, já que as peças custam mais e se exige um trabalho mais especializado.

O acesso mais difícil ao porta-malas

Ao contrário de um hatch, o sedã exige que o motorista ou outro usuário saia do carro para conseguir acessar o porta-malas.

Isso também não é uma regra, mas é que ocorre na maior parte dos casos.

As subcategorias do carro sedã

Os modelos de carro sedã dividem-se em subcategorias. Veja!

Compacto

É um carro com motor menos potente que os das outras subcategorias. Por isso, oferecem um preço mais baixo.

É o caso do Volkswagen Voyage, Nissan Versa, Fiat Cronos, Chevrolet Prisma e outros.

Médio

É um carro com mais espaço, sendo o tipo mais recomendado para as famílias.

É o caso do Toyota Corolla, Volkswagen Jetta, Chevrolet Cruze, Honda Civic, Nissan Sentra e outros.

Superior ou Grande

É o tipo mais completo. Oferece elevado desempenho e muito conforto, sendo mais caro.

É o caso do Volkswagen Passat, Audi A4, Volvo S60, BMW Série 5 e outros.

Você conferiu as características de um carro sedã, bem como as suas vantagens e desvantagens. Diante disso, poderá fazer uma boa escolha na hora de comprar ou vender.

Gostou do texto? Continue se informando sobre o assunto. Fique sabendo quais foram os carros que saíram de linha em 2018!

Powered by Rock Convert

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *