Como identificar os sinais que o seu veículo te dá?

24/10/2018

Ao dirigir um carro diariamente, precisamos estar atentos aos sinais do veículo. Se algo de errado estiver acontecendo durante a direção, muitas vezes o alerta começa pelo painel. Barulhos, vibrações e dificuldades para executar as manobras simples também são alguns sintomas de que algo não está certo.

É importante criar uma cultura de observar o comportamento do veículo, não somente ligar as chaves e sair dirigindo até o seu destino final, sem se preocupar com mais nada. O carro precisa da manutenção preventiva e também da atenção durante o uso.

Nenhum motorista está livre de passar por um buraco ou bater a roda no meio-fio, e isso pode causar danos a alguns dos sistemas. Por isso, se algo fora do padrão acontecer, não pode ser desconsiderado.

Mas afinal, você sabe quais são os sinais que o seu veículo dá quando está em uso? Você sabe reconhecer possíveis problemas que estão sendo apresentados? Você está preparado para entender esses sinais?

Se você quer entender um pouco mais sobre carros, este post é ideal para você! Vamos mostrar alguns dos sinais mais comuns quando o veículo está apresentando problemas e como resolve-los, além de ajudar você a entender melhor o que é preciso saber na hora de adquirir um veículo usado. Vamos lá?

6 sinais comuns no veículo: o que significam?

O carro é formado por um conjunto de sistemas e peças que precisam trabalhar em perfeito funcionamento sempre. Se algo dá errado e esse ciclo se desregula, aparecem os empecilhos.

Nenhum motorista está livre de ser surpreendido por problemas mecânicos no carro, mas é importante alertar que, antes de estragar, alguns sinais são emitidos, e cabe aos condutores interpretá-los para realizar os devidos reparos. Para ajudar você a entender melhor o que pode estar acontecendo, separamos os 6 principais sinais mais comuns que um veículo pode apresentar. Confira!

  1. Luz de óleo acendendo no painel

O painel do carro é um termômetro para tudo que está acontecendo na parte mecânica e elétrica do veículo. Apenas as luzes de serviço ficam acesas quando estão ativadas durante o uso, de resto, tudo deve permanecer apagado.

Se a luz de óleo acender, é preciso ficar de olho, pois o motor do carro pode estar fundindo. O ideal é parar o veículo e esperar que o motor esfrie. É importante verificar o nível da substância no reservatório, o que pode indicar um vazamento, danos na bomba ou algum tipo de entupimento.

  1. Escutando alguns ruídos

Por via de regra, nenhum componente do veículo emite sons, mas é preciso estar atento se:

  • existem ruídos ao pisar no freio;
  • ao fazer a curva em baixa velocidade os pneus fazem barulho;
  • ouvir rangidos ao passar por obstáculos.

Tudo isso pode indicar problemas no sistema de direção e nas rodas do carro. É preciso verificar as pastilhas de freio, suspensão, rolamentos e até mesmo a condição dos pneus.

  1. Volante trepidando

A sensação que causa a trepidação do volante do carro não é nada agradável, por isso não pode ser normal. É preciso verificar os pneus, o balanceamento das rodas e os discos de freio. É necessário fazer uma revisão completa do sistema de direção para identificar a falha e corrigir o mais rápido possível para evitar acidentes.

  1. Motor falhando

Se o motorista percebe que o carro perde força ou começa a falhar durante a direção, isso indica um mau funcionamento do motor. Esse problema pode ser causado pelo uso de combustível adulterado ou então por problemas nos cabos e nas velas.

É preciso levar o carro até uma oficina mecânica de confiança para verificar se algum componente foi afetado pelo uso de algum combustível de má qualidade e, assim, corrigir o problema o mais cedo possível.

  1. Direção puxando para um dos lados

O alinhamento dos pneus precisa estar sempre correto para que a direção trabalhe de forma eficiente. Quando o motorista cai em um buraco ou bate em um meio-fio, por exemplo, a referência dos graus de alinhamento dos pneus pode ser perdida, por isso a direção vai sozinha para a esquerda ou para a direita.

O motorista também precisa ficar atento à calibragem periódica dos pneus e no balanceamento, para evitar folgas na suspensão. A melhor forma de evitar problemas é com a manutenção periódica do veículo.

  1. Veículo consumindo mais combustível

Quando um veículo começa a apresentar variações expressivas no consumo de combustível, é preciso ficar alerta. Não somente porque isso pesa no bolso, mas porque o sistema de injeção ou até mesmo o motor podem apresentar algum tipo de falha.

Se você observar que o consumo se alterou significativamente, procure o mais rápido possível uma oficina mecânica e faça um checkup para tentar identificar a falha.

6 sinais de problemas no veículo: como resolvê-los?

Você começa a circular com o seu veículo e nota alguns detalhes: fumaça saindo do cano de escape, barulhos nas rodas, falhas na hora de ligar ou o carro engasgando, tudo isso são sinais de que alguns componentes podem estar apresentando falhas. Por isso, entenda a seguir como identificar e resolver esses problemas!

  1. Manchas no chão

Você precisa observar qual o tipo de mancha que você encontra debaixo do seu veículo. Se for escura, com viscosidade, o veículo está com vazamento de óleo. Para reparar é preciso ir até uma oficina mecânica e verificar a vedação do cárter e do bujão.

Se a mancha for branca ou mais clara, o carro apresenta vazamento de água do motor, e isso é grave! Falta de água leva ao superaquecimento e, consequentemente, à fundição do motor! Uma série de situações podem levar a esse vazamento: danos na junta do cabeçote, bolha nas mangueiras de água, não fechamento da tampa do reservatório de água ou a perfuração do radiador.

  1. Fumaça

Um carro que está apresentando um bom funcionamento e que todos os seus componentes estão trabalhando sem apresentar falhas não tem a emissão de fumaça. Isso serve para o momento da ignição e durante o percurso.

Porém, quando o motorista percebe que existe a emissão de fumaça, ele precisa ficar atento à cor, já que ela indica qual o problema que o veículo está apresentando. As principais são:

  • fumaça branca: esse é um sinal de vapor de água que representa problemas no sistema de arrefecimento, ou seja, do radiador do veículo — por via de regra, essa fumaça é emitida quando a junta do motor está danificada e, para resolver o problema, é preciso fazer a substituição da peça e a vedação;
  • fumaça preta: essa emissão de fumaça acontece quando o sistema de injeção eletrônica está danificado, ou seja, combustível em excesso está sendo injetado no motor — para resolver o problema é preciso fazer uma limpeza do sistema de injeção, verificação das velas e a regulagem do sistema de alimentação;
  • fumaça azul: essa precisa de atenção redobrada, já que significa que o óleo está queimando dentro do motor! Com a falta de lubrificação, o componente principal do seu veículo pode parar a qualquer momento, deixando você na mão — por isso, é preciso verificar os anéis do pistão rapidamente.
  1. Barulho no motor

Ao começar a escutar barulhos enquanto dirige, é preciso identificar de que parte saem os sons. Se for da parte frontal, o motor do carro pode ser o principal alvo dos problemas. Se o barulho aparece na hora da partida, é preciso verificar o cabeçote e as bronzinas. Mas se o ruído parece uma vibração, como se estivesse rangendo uma peça, fique atento às seguintes peças:

  • correia dentada;
  • embreagem;
  • cabeçote;
  • bronzinas.

O importante é levar o veículo a uma oficina mecânica sempre que perceber qualquer barulho diferente. Ele pode sinalizar ao profissional qual é o problema já na hora da partida!

  1. Ruídos no rolamento

Sabe quando você segue por uma rua asfaltada e fica escutando um barulho contínuo nas rodas? Esse é um sinal de que os rolamentos estão danificados e precisam ser verificados imediatamente.

Esse barulho acontece por conta de pneus ruins, rolamentos das rodas estragados ou, até mesmo, problemas no câmbio e no diferencial. O importante é fazer uma revisão periódica do sistema de freios e dos pneus para evitar esses contratempos.

  1. Barulhos ao passar por lombadas e buracos

Mesmo passando em obstáculos com uma velocidade baixa você escuta um rangido? Esse é um sinal clássico de que a suspensão está com problemas. Para corrigir, é preciso verificar as buchas das bandejas, pivôs, as molas e os amortecedores.

Se essas peças estiverem danificadas, o uso prolongado pode acarretar em desgastes do sistema completo e gerar prejuízos maiores ao motorista. Para evitar problemas, faça sempre a manutenção preventiva.

  1. Ruídos contínuos ao dar a partida

Ao colocar a chave na ignição e dar a partida, você escuta uma espécie de metralhadora disparando até que o carro funcione? Isso é um típico problema de bateria e, se você não cuidar, pode ter que andar a pé muito em breve.

Esse tipo de barulho costuma ser causado por uma bateria ruim, problemas no alternador, que não está deixando que ela recarregue, ou alguma perda de corrente. Para corrigir o problema é preciso verificar a parte elétrica e trocar a peça.

Quais sinais precisam ser analisados na hora de comprar um usado?

Ao pesquisar um carro usado para comprar, é preciso estar atento à situação do veículo. Não somente no que diz respeito à documentação, mas também às condições de lataria e mecânica. Tudo precisa ser averiguado com a maior cautela antes de fechar um negócio!

Depois de escolher as opções que mais agradam, é hora de fazer um test-drive. Tudo que estiver de errado no veículo é possível perceber já nos primeiros metros de direção: se o volante puxa para algum dos lados, se faz barulho nas rodas ou durante as frenagens ou se o motor desenvolve bem a velocidade. É importante estar bem atento a tudo para não sair no prejuízo no final da compra!

Para ajudar você a identificar possíveis problemas, separamos alguns componentes que precisam ser verificados. Confira quais são eles a seguir!

Motor

O ronco do motor é o maior termômetro para possíveis problemas! Se algum barulho ou ruído for ouvido a partir desse componente, é sinal de falha ou dano. Confira o nível de óleo, verifique se as luzes do painel estão acendendo durante a direção e veja se sai fumaça do escapamento.

Se qualquer um desses fatores apresentarem alterações, com certeza o motor do carro está com problemas e essa pode não ser uma boa opção de compra!

Suspensão

Um carro em perfeito estado não faz barulho, mas, se acontecer o contrário, é necessário identificar o problema. Se ao trafegar e passar por obstáculos na pista o veículo faz barulhos fortes, a suspensão pode estar danificada.

Para identificar problemas durante o teste do carro usado, é preciso perceber se solavancos ou puxadas para uma das direções estão acontecendo, se o veículo está com a estabilidade alterada e se as passagens de nível ou lombadas são mais secas. Tudo isso é um sinal claro de que o automóvel está apresentando problemas na suspensão.

Para identificar qual dos componentes está danificado, é preciso fazer uma inspeção completa de molas, amortecedores, barra de direção e outros itens que compõem o sistema.

Caixa de câmbio

O câmbio é uma peça fundamental para o funcionamento do veículo. Devido a sua grande utilidade para mover o automóvel, ela sofre um desgaste natural, que precisa ser analisado na hora da compra de um carro usado.

A caixa de câmbio é formada por uma série de componentes que trabalham para distribuir a força e movimentar o veículo. A partir da transmissão das marchas é que as rodas se movem e a potência do motor é gerada. Tudo funciona a partir do câmbio e o torque é definido de acordo com as ordens transmitidas dessa peça para os demais sistemas do carro.

Na hora de escolher um carro é preciso ficar atento não somente ao ano de fabricação, para analisar os desgastes do câmbio, mas também a mais alguns outros detalhes:

  • as marchas precisam entrar suavemente nos seus pontos;
  • não pode haver cheiro de queimado durante a troca das marchas;
  • quando está em ponto morto o carro não pode apresentar ruídos no câmbio;
  • ao trafegar, as marchas não podem se desencaixar sozinhas;
  • verificar se existem vazamentos na caixa de marcha;
  • as luzes do painel não podem acender.

Para facilitar a vida do consumidor, na hora do test-drive é fundamental observar os 5 sinais de que algo está errado no câmbio:

  • a marcha não é trocada com suavidade e arranha antes de engatar;
  • o veículo faz barulhos quando está engatado, mas ao pisar na embreagem eles desaparecem;
  • você está dirigindo e as marchas escapam das posições que estão engatadas;
  • o carro está engatado e apresenta trepidações antes de arrancar;
  • quando você está arrancando com o veículo a alavanca do câmbio se movimenta sozinha.

Se você identificar esses problemas na hora que está fazendo um teste com o veículo, informe imediatamente ao vendedor sobre as falhas no câmbio e que isso precisa ser reparado.

Se mesmo assim você optar por fazer a compra, é importante negociar um valor mais baixo pelo automóvel para que você possa custear o gasto para fazer os reparos necessários para continuar a trafegar em segurança com o veículo.

Por que resolver os problemas no veículo antes da revenda?

Na hora de vender um carro usado, é preciso consertar todo e qualquer defeito que possa desvalorizar o veículo. Afinal, quem quer perder dinheiro em um negócio?

Como o mercado dos carros usados está em alta, o objetivo do vendedor é valorizar o seu produto e, por isso, é fundamental que alguns reparos sejam realizados para não se perder dinheiro na hora da negociação.

O cliente compra um carro pelo que ele sente à primeira vista, ou seja, se o veículo encanta aos olhos, aumentam as chances de fechar o negócio. Por isso, vale a pena gastar um pouco para conseguir um preço mais alto na hora da venda de carro usado.

Mas afinal, o que de fato compensa consertar no veículo para não pesar no bolso e melhorar as chances de um bom negócio? Separamos 5 fatores que compensam e outros 5 que não compensam ser reparados nessa hora.

O que vale a pena

  1. Reparar pequenos amassados e riscos que estão visíveis na lataria do carro.
  2. Trocar as peças que estão causando vazamento de óleo.
  3. Lavar e higienizar o veículo tanto na parte interna quanto na externa para melhorar o visual.
  4. Se a pintura estiver danificada ou fosca, é interessante fazer um polimento ou o serviço de cristalização para recuperar a cor e o brilho da lataria do carro.
  5. Se estiver faltando, repor a chave de roda, macaco hidráulico e triângulo de sinalização que são utilizados em caso de pane ou para a troca de pneus do carro.

O que não vale a pena

  1. Reparar as velas e os cabos que podem ser causadores de problemas na partida, falhas do motor e da perda de potência. Esse é um investimento alto, que não será recuperado na hora da venda!
  2. Consertar qualquer problema na suspensão do veículo custa caro! Por isso, se você identificar alguma falha, é mais barato diminuir um pouco o preço e deixar que esse reparo seja realizado pelo próximo proprietário.
  3. As pastilhas e o disco de freios não devem ser reparados na hora da venda, já que eles não geram desvalorização na hora da negociação.
  4. Os pneus fazem parte do visual do carro, mas não devem ser trocados para garantir um preço mais atrativo na revenda. O investimento para a troca de pneus é alto e não será recuperado na hora de fechar o negócio.
  5. Não se preocupe com o óleo ou os fluidos de freio! Sempre que um comprador adquire um veículo usado, esses itens são verificados e substituídos logo após a compra.

Agora, se o assunto for a customização de veículo, não se engane, nem sempre você conseguirá um preço pelo carro que seja mais alto que o valor dos acessórios que você instalou. Se alguns dos itens puderem ser utilizados em outra marca e modelo de carro, é mais interessante tirar as peças e substituir pelas originais para não perder dinheiro na hora da revenda.

Quais sinais do veículo não podem ser ignorados?

Todos os sinais que um automóvel emite durante a direção não podem ser ignorados pelo motorista, pois eles refletem possíveis problemas que podem estar ocorrendo nos diferentes sistemas que levam ao funcionamento do carro.

O primeiro contato visual com as falhas é por meio do painel de instrumentos que fica logo à frente do motorista. Se alguma luz vermelha se acende inesperadamente, a melhor conduta é parar o carro, esperar esfriar o motor e verificar o que pode estar acontecendo.

As cores seguem padrões para sinalizar as suas funções. As verdes são de luzes ligadas de forma correta, as amarelas são alerta ou advertência para sistemas ou falhas e as vermelhas têm sempre a função de indicar situações de emergência ou que podem ser consideradas críticas.

De uma forma geral, as luzes têm a função de alertar o motorista sobre o que o computador de bordo do veículo está identificado em relação aos diversos sistemas que compõem o carro.

Ruído e vazamentos são sinais especialmente de problemas que estão aparecendo e devem ser reparados o mais rápido possível. Não indica que o veículo sofrerá uma pane na mesma hora, mas que o uso prolongado do carro com essas falhas poderá gerar um dano grave ou irreparável ao veículo.

Qualquer instabilidade, seja na força ou na direção, também precisa ser verificada, pois elas indicam uma série de problemas que podem estar prejudicando o veículo. Por isso, muitas vezes, ignorar os sinais não resolve as falhas e sim as agravam, tornando o dano por vezes irreversível. E isso representa um grande prejuízo para o bolso do motorista e, até mesmo, um risco à segurança.

A melhor forma de se prevenir com os problemas mecânicos do veículo é manter a manutenção em dia e estar sempre atento aos sinais que são repassados pelo automóvel. Se o motorista é mais observador, as chances de notar mais rapidamente as falhas do carro é maior. Mas não ignore qualquer sinal, nem o menor que seja, pois isso pode livrar o veículo de problemas graves.

Que tal, você gostou deste texto sobre os sinais do veículo quando ele está apresentando problemas? Então que tal aproveitar a visita em nosso site para assinar a nossa newsletter e receber informações atualizadas direto na caixa de entrada do seu e-mail? Aproveite!

 

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *