Venda de carro usado — uma visão geral sobre os procedimentos necessários. Processos, dicas e práticas que podem ser adotadas para a realização de venda de um carro usado

19/03/2018

Especialmente na hora de comprar um novo veículo, realizar a venda de carro usado é a saída encontrada por muitos proprietários. Além de se desfazer do bem, é uma maneira de levantar um valor que ajuda no pagamento do próximo veículo.

Ao mesmo tempo em que é um processo importante e muito comum, pode ser bastante demorado e burocrático. Até encontrar um interessado, atingir um bom valor e finalizar a venda, há um gasto de tempo, dinheiro e energia. Por isso, o ideal é ter as dicas certas para concretizá-la de um jeito prático.

Quer saber o que fazer? Então, conheça a seguir um panorama sobre a venda de carro usado e veja quais práticas podem ser adotadas nessa etapa!

A venda de carros usados

Mesmo com a crise econômica de 2017, a negociação de veículos usados cresceu no período. No ano, houve uma elevação de 6,5% nas vendas desses veículos. Em janeiro de 2018, os resultados foram ainda mais positivos: aumento de 78,5% nas negociações dos carros com 9 a 12 anos.

Isso se deve a dois fatores principais. O primeiro é que os efeitos da crise — como o desemprego — levam muitas pessoas a reduzirem despesas e a se livrarem de bens. Dessa forma, a venda do carro usado é uma forma de trazer liquidez para o orçamento.

Por outro lado, o PIB brasileiro cresceu 1% em 2017, e caracterizou a primeira subida em dois anos. Há, portanto, uma expectativa de recuperação da economia, com nova abertura de crédito. Como resultado, mais pessoas pensarão em trocar de carro e em vender os seus atuais. Para que o processo seja concluído, há algumas fases que devem ser executadas. São elas:

Vistoria do veículo

Para que a venda seja concretizada da forma adequada, é indispensável que o veículo esteja em boas condições. Portanto, é necessário que haja uma vistoria para garantir a segurança tanto de quem compra quanto de quem vende.

Comumente, a etapa é pulada quando a relação é entre pessoas físicas. Com concessionárias, entretanto, ela é sempre obrigatória. Em qualquer caso, é altamente recomendado recorrer a essa possibilidade para que tudo saia conforme o previsto.

Seleção de um bom preço

A partir da vistoria, da avaliação do carro e das condições de mercado, é feita uma oferta. Para ser atraente, o preço precisa ser condizente com diversas questões, como estado de conservação, histórico e idade de uso. A intenção é tornar a alternativa conveniente à compra de um novo, sem desvalorizar demais para o vendedor.

Muitas vezes, pode acontecer de haver uma negociação entre as partes até que o preço considerado justo seja atingido. Quando isso ocorre, a venda é concretizada.

Transferência do bem

Antes de encerrar a etapa, é fundamental passar por um processo de transferência do bem. Para fins legais e para a segurança de ambos, a documentação deve ser modificada para contemplar essa troca de posse.

Novamente, quando a venda é feita entre pessoas físicas, pode acontecer de o passo não ser concluído. O problema é que quem compra não tem garantia da posse e quem vende terá que arcar com multas e despesas que, teoricamente, são de quem comprou.

Documentos para venda de carros usados

Para que a transferência seja feita conforme manda a lei, é fundamental que haja a apresentação da documentação completa. Ela serve para que tudo ocorra de acordo com o previsto e garante a satisfação para as duas partes envolvidas.

Não existe apenas um documento, mas sim uma série de elementos que devem ser demonstrados para que tudo se conclua. A seguir, veja como eles se dividem e saiba quais são os indispensáveis

Documentos do vendedor

Quem faz a venda precisa comprovar que a transação é idônea e que o veículo é de sua posse, por exemplo. Isso evita processos fraudulentos ou até de itens roubados, o que traz problemas até para quem compra.

Para garantir a segurança de todos os envolvidos, os principais documentos nesse sentido são:

  • CPF e/ou RG da pessoa física;
  • certidão de nascimento ou de casamento;
  • certidão negativa de alienação de bens ou de tutela, que comprovam a permissão para realizar a etapa;
  • Certidão de Propriedade dos Veículos;
  • Certificado de Registro de Veículo (CRV) ou Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) antigo e com o nome do comprador.

Documentos do comprador

Já quem compra precisa demonstrar capacidade financeira e interesse genuíno, que sustente que a operação é feita de forma totalmente legal. Em caso de problemas, o vendedor ou os órgãos competentes devem saber como contatá-lo e, por isso, alguns documentos incluem:

  • RG e CPF ou CNPJ, no caso de pessoas jurídicas, como concessionárias;
  • contrato social ou Ato Constitutivo de empresas;
  • comprovante de endereço ou endereço comercial utilizado;
  • comprovante de pagamento após o fechamento da compra.

Documentos do veículo

Além de tudo, é preciso se preocupar com os documentos veiculares. Além de trazerem segurança na avaliação de compra, eles permitem a comunicação obrigatória da venda e da transferência de posse ao Detran. Antes da compra, os documentos exigidos são:

  • CRV completamente preenchido e com firma reconhecida;
  • uma cópia do CRLV e o original;
  • comprovantes de quitação de valores de multa, licenciamento e IPVA;
  • contrato assinado por ambas as partes;
  • formulário do RENAVAM e
  • dois decalques do chassi do veículo.

Depois que a transação estiver completa, o vendedor precisa comunicar a venda ao Detran pelo CRV preenchido, de modo a se eximir de possíveis responsabilidades. Já o comprador deve seguir para o órgão para realizar uma nova vistoria e receber o CRLV definitivo.

Contrato para venda de carros usados

Um dos elementos mais importantes para finalizar os passos é o contrato de venda de carro usado. Esse dispositivo legal formaliza a operação e traz segurança jurídica para ambas as partes. Para que ele seja válido, é fundamental que certos elementos estejam presentes. Assim, o processo corre sem nenhum problema. Entre os fatores destacáveis estão:

Partes interessadas

O contrato de venda de carro usado começa com a apresentação das partes interessadas. É preciso explicitar quem é o vendedor, assim como os seus documentos permanentes. Por outro lado, o comprador é definido para que não restem dúvidas sobre a transação.

Outro aspecto que não pode ficar de fora é o veículo. Ele deve ser descrito com todos os detalhes pertinentes, como marca, modelo, ano, chassi e assim por diante. Quanto mais completo for o detalhamento, melhor será o resultado.

Valor de venda e forma de pagamento

Outro ponto que surge nesse item é o montante pelo qual a venda é concretizada. Ele deve incluir todos os possíveis custos acordados entre as partes, como o valor da guia de regularização junto ao Detran. Também é necessário demonstrar a forma de pagamento, como a quitação à vista, por cheque ou dividida em parcelas, por exemplo. Tudo o que for estabelecido nesse ponto precisa ser cumprido.

Prazo de transferência

Ao final do contrato, são apresentadas as questões referentes ao prazo de transferência. Se não for imediato, é preciso estipular a data-limite e como o processo acontecerá. Para garantir que tudo saia conforme o previsto, devem ser dispostas cláusulas como multas e valores de rescisão se algo não for cumprido.

Tabela para venda de carros usados

Quando um carro sai da concessionária, ele já começa a passar por uma depreciação. Essa perda de valor é natural, já que, de um ano para o outro, há novos lançamentos e o uso leva ao desgaste e à diminuição da durabilidade do veículo.

Ao mesmo tempo, é preciso que o dono recupere parte do investimento ao fazer a venda, considerando questões como inflação e movimentação da economia. Para padronizar as avaliações e evitar grandes desvios, foi criada a tabela Fipe. Ela conta com os valores de venda de carro usado e serve de parâmetro tanto para quem vende quanto para quem compra. A seguir, entenda melhor o funcionamento desse elemento:

Os fatores considerados para o valor

Nem todo automóvel é igual, certo? Portanto, a tabela Fipe não apresenta um único preço para todos os veículos. Os principais aspectos considerados são marca, ano e modelo — os quais também influenciam a compra de um novo, por exemplo.

Isso significa que dois carros de mesma marca e ano, mas com motorizações diferentes terão preços distintos. Já em relação à idade, quanto mais antigo o veículo é, maior é a desvalorização no preço.

A aplicação da tabela na venda

A tabela Fipe não é obrigatória e alguém que se interesse pela venda de carro usado pode oferecer um preço menor do que o previsto nessa relação. Da mesma maneira, o contrário acontece.

O fato é que a tabela serve para direcionar a atuação e para que vendedores e compradores tenham uma referência no valor de venda. Com todas as taxas incluídas e condições específicas, não é incomum que um automóvel seja vendido por um preço acima do estipulado.

A importância da tabela Fipe

Ainda que não seja obrigatória ou que seus valores não sejam estritamente seguidos, a tabela Fipe é indispensável para o processo de venda de carro usado. Ela ajuda a evitar distorções no mercado.

Também é uma forma de garantir a valorização para quem vende e de diminuir as chances de que o preço pago por quem compra seja mais caro do que é realmente justo. Assim, a sua existência e o seu uso levam a uma segurança maior para ambos os envolvidos.

Recibo de compra e venda de carros usados

Na parte da documentação quanto ao processo, você viu que a apresentação do Certificado de Registro de Veículo (CRV) é obrigatória. Ele tem grande relevância exatamente porque funciona como o recibo quanto à venda de veículo usado.

Se ele for preenchido adequadamente, as duas partes poderão concluir a etapa e não terão problemas no futuro. Veja o que é preciso conhecer sobre esse assunto e prepare-se do jeito certo.

O preenchimento do recibo

Por determinação do Detran, é obrigatório que o CRV seja completamente preenchido e com todas as informações corretas. Entre os pontos que devem ser observados estão os dados do comprador e do vendedor e do veículo. Um dos pontos mais importantes é a data de assinatura, para garantir o reconhecimento em firma.

O recibo de venda de carro usado só deve ser assinado caso todas as informações estejam presentes e de maneira adequada.

A necessidade de segunda via

Por ser um dos elementos mais relevantes para a segurança de quem está envolvido no processo, é natural que o documento não aceite rasuras e erros. Se qualquer informação estiver incorreta ou se houver rasuras ou dúvidas, será necessário solicitar uma segunda via do CRV.

O ponto positivo é que a solicitação pode ser feita online, pelo site do Detran. A etapa também será exigida em caso de extravio do documento, então, fique atento a essa necessidade.

A importância da comunicação de venda

A partir da data de registro determinada no CRV, o comprador tem o prazo de 30 dias para enviar o recibo para o Detran e seguir com os trâmites. O preenchimento correto e o reconhecimento de firma, portanto, são essenciais para garantir o prazo.

A comunicação de venda, por sua vez, é indispensável para ajustar as responsabilidades entre as partes envolvidas. Sem ela, o vendedor ainda terá que pagar multas e encargos e o comprador não terá a posse efetiva. Com tudo realizado dentro do prazo, o resultado é que ambos ficam satisfeitos.

Venda de carros usados nacionais

Os modelos nacionais são muito procurados porque unem qualidade, praticidade e bom preço. As peças são encontradas com facilidade e, em geral, os custos são bem menores. Para conseguir ter sucesso, entretanto, é preciso traçar uma boa estratégia.

Desse modo, a venda de carro usado ficará mais rápida e atenderá às suas expectativas. A seguir, veja quais pontos considerar:

Mantenha os itens originais

Quando um automóvel é modificado, ele perde parte do seu valor inicial. Ainda que as modificações sejam positivas para você, elas não foram feitas pelo fabricante e, com isso, podem pesar contra a valorização.

Por conta desses fatores, o recomendado é manter todos os itens exatamente como o veículo veio de fábrica. Se precisar substituir peças, realize o processo em uma autorizada com elementos originais. Isso contará muitos pontos na vistoria e tudo será realizado de maneira muito menos demorada ou complexa.

Regularize toda a documentação

Outro entrave muito comum para a conclusão da etapa é a falta de documentação adequada. O IPVA atrasado, as multas em suspenso ou até a falta de vistoria por parte do Detran são pontos que atrasam e até suspendem a negociação.

Antes mesmo de dar início à venda, portanto, é fundamental regularizar todos os documentos. Coloque os elementos em dia, faça as renovações devidas e garanta que tudo esteja de acordo com o que manda a lei.

Tome cuidado com a quilometragem

O que também pode desvalorizar é o total da quilometragem. Basicamente, quanto mais o automóvel roda, maior é o uso dos seus componentes e menor é a atratividade para os compradores. Mesmo que a vistoria esteja em dia, milhares de quilômetros rodados pesam contra o preço.

Apesar de não ser um problema reversível, é possível diminuir o seu impacto. Se você pretende fazer a venda de carro usado, o ideal é realizar o processo rapidamente, de modo a reduzir o valor da rodagem.

Venda de carros usados importados

Tradicionalmente, os automóveis importados são conhecidos como de alta qualidade, durabilidade e status. Há diversas marcas de luxo no cenário internacional e que se transformaram em verdadeiros desejos de consumo do brasileiro.

Para estimular esse mercado, a partir de janeiro de 2018, houve a eliminação do IPI, um dos principais impostos para a entrada de carros do tipo no país. Mesmo assim, o valor de um novo ainda é bastante superior e, com isso, os carros importados usados são uma excelente e crescente alternativa no cenário nacional.

Para aproveitar as possibilidades, descubra o que fazer para conseguir a melhor negociação:

Entenda o mercado

Quem decide fazer a aquisição de um modelo importado usado em vez de comprar um novo nacional não está apenas em busca de um automóvel. A pessoa também procura uma experiência e, portanto, é preciso oferecer isso durante a venda.

Preços e condições diferenciadas são atraentes, bem como características especiais — como a baixa rodagem do veículo ou a necessidade quase nula de fazer manutenções. Ao conhecer o mercado, será mais fácil aproveitá-lo corretamente.

Garanta um bom estado do veículo

Muitas vezes, um modelo internacional é utilizado como status. Por isso, o carro tem que estar bonito e bem conservado para transmitir a mensagem certa. Do contrário, a negociação pode ficar inteiramente comprometida.

Antes de vender e de fazer a vistoria, considere reparar quaisquer problemas e deixe o veículo limpo, bem estofado e com cara de que está pronto para ser dirigido. Isso encherá os olhos dos potenciais compradores e melhorará as suas chances.

Considere o impacto da manutenção no preço

Mesmo quando é usado, um veículo importado não tem um preço tão baixo. Se for preciso realizar consertos e diversas outras mudanças, o preço de aquisição ficará ainda maior. Portanto, na hora de definir o quanto será cobrado, é exigido pensar na necessidade de manutenção.

Quanto mais antigo o veículo é, maior será a exigência de idas ao mecânico e menos as pessoas estarão dispostas a pagar pelo carro. Ao mesmo tempo, versões muito conservadas conseguem se destacar no mercado.

Considere todos esses aspectos na hora de vender e escolha um valor atraente e justo. Com isso, há riscos menores de o automóvel ficar “encalhado” no mercado.

Venda de carros usados online

Você provavelmente já fez compras pela internet ou conhece alguém com esse hábito. O que ainda não é tão comum, mas é uma possibilidade, é a venda de carro usado de forma online.

Por meio dos recursos adequados, é possível negociar o seu veículo de um jeito prático, seguro e que traz muitas vantagens. Portanto, é hora de conhecer essa alternativa e descobrir se ela é para você:

O funcionamento da venda de carro usado online

Tudo começa pelo seu interesse em fazer a venda, o que leva a um cadastro no serviço. Na sequência, basta fazer um agendamento online para realizar uma inspeção física no veículo. Isso garante a idoneidade do processo e ainda faz com tudo fique mais rápido.

Em seguida, as informações são disponibilizadas na plataforma e há um leilão. As concessionárias disputarão o seu automóvel e, ao final, o maior lance vencerá. Se o preço e as condições estiverem de acordo com os seus interesses, basta fechar negócio e receber o dinheiro e maneira imediata.

Os benefícios dessa alternativa

Uma das grandes vantagens do procedimento é que há total praticidade. Após a inspeção, não é preciso se preocupar em negociar com os interessados ou fazer buscas sobre quem deseja comprar. Tudo acontece de maneira direta e simples.

Outro ponto conveniente é a rapidez. A inspeção leva apenas meia hora e, logo em seguida, o leilão já tem início. Com a proposta aceita, o dinheiro é creditado de forma imediata, o que traz muita liquidez para o seu bolso.

Não menos importante é a segurança. Graças a esse recurso, não é necessário ter medo pela sua integridade física ou pelo não recebimento do valor. A documentação é feita corretamente pelo serviço e, no final, todos saem satisfeitos.

Os cuidados para tomar

Como visto, essa é uma alternativa muito conveniente e que oferece uma segurança reforçada. Contudo, antes de fazer a venda de carro usado de maneira online é preciso ter alguns cuidados. Além de regularizar a situação do veículo, garanta que a plataforma escolhida é de confiança e tem bons resultados. Veja o que outras pessoas dizem sobre o processo, entenda como tudo acontece e não deixe de tirar dúvidas.

Também é importante saber que não é necessário aceitar uma proposta se ela não soar conveniente ou justa. Analise as informações com cuidado antes de fechar negócio para ter total satisfação com a etapa.

A venda de carro usado é uma tarefa bastante comum e que continua em crescimento no Brasil. Ao seguir essas práticas e dicas, você poderá fazer tudo com segurança e praticidade, de modo que todos saiam satisfeitos.

Quer ajuda nesse processo? Para ter a melhor oportunidade para o seu veículo, faça uma cotação gratuita do seu carro e prepare-se para a venda!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *