A bateria automotiva precisa estar sempre funcionando!

22/02/2018 bateria automotiva

Há algumas partes do carro que não podem estar minimamente defeituosas de jeito nenhum. A bateria automotiva, por exemplo, não pode falhar, pois, nesse caso, o veículo não dará partida. Portanto, cuidar muito bem do próprio automóvel é essencial para que tudo continue em ordem por mais tempo.

Foras as revisões e as manutenções com mecânicos particulares, alguns outros macetes podem ser interessantes para a parte elétrica do veículo continuar em bom estado. As baterias possuem vida útil e, quando essa expira, os cuidados tem de ser redobrados para que o pior não aconteça — leia-se: o carro “morrer”.

Para saber mais sobre o funcionamento de uma bateria automotiva e quais os macetes necessários para evitar que ela se desgaste muito, confira o texto abaixo!

Como funciona uma bateria automotiva?

Para um automóvel, a bateria de carro é tão importante quanto seria o coração para os seres humanos. Sem ela, não há como o veículo sequer dar partida. As várias engrenagens que compõem toda a mecânica precisam da eletricidade para começar a funcionar — assim como, também, qualquer luz interna ou externa ao carro.

Há motoristas que, de fato, não se importam tanto com a manutenção da bateria automotiva. Nesses casos, desde que o carro ligue, está bom. Felizmente, perante esse pensamento, as montadoras estão, cada vez mais, se dedicando a desenvolver baterias inteligentes, com maior capacidade de recarga.

Enquanto o carro estiver em movimento, a bateria está sendo gasta e, ao mesmo tempo, recarregada. É um fluxo contínuo: quando ligado e trafegando, não há perigo desse equipamento falhar — caso ele esteja em boas condições de conservação.

No entanto, quando parado, se o motor do carro estiver funcionando, a energia também será gasta, mas não reposta. A recarga da bateria se dá por meio do movimento realizado pelo veículo. As reações eletroquímicas acontecem dentro de um compartimento que, normalmente, se localiza na parte dianteira do carro.

Tipos de baterias para carro

Fabricadas com a utilização de placas de chumbo, as baterias automotivas são desenvolvidas para terem uma vida útil de até dois anos — por mais que, em muitos casos, ela dure bem mais do que isso. Na essência, todas as baterias são parecidas, pois acabam obtendo a mesma tarefa no funcionamento dos carros.

No entanto, há alguns fatores que podem diferenciar elas entre si. A bateria convencional, por exemplo, é feita de chumbo — com placas positivas do metal e, também, negativas. No entanto, há alguns modelos que utilizam outra liga metálica para a condução de eletricidade: a prata.

Nesse caso, a bateria automotiva de prata possui resistência e durabilidade maiores. Acima dela, só a modelo AGM (Absorbent Glass Mat), que possui vidro absorvente em sua composição. Com isso, a bateria pode ser colocada em qualquer posição no carro, já que não há risco de vazamento — além de, claro, ser ainda mais resistente do que as outras.

Algumas dicas de manutenção preventiva para a sua bateria

Assim como com qualquer outra peça da engrenagem do veículo, fazer a manutenção de carro da bateria automotiva é essencial para que a dure, ao menos, até o fim da sua vida útil. No entanto, há alguns pequenos macetes do dia a dia que pode contribuir para isso, conservando por mais tempo o bom estado dela.

Primeiramente: se tratando de bateria automotiva, sempre ligamos a sua imagem à partida do carro, não é mesmo? Nesse sentido, é importante saber a necessidade de evitar que esse processo dure mais do que cinco a sete segundos, pois, quando exagerado, prejudica o funcionamento da bateria.

Confira abaixo outras dicas de manutenção preventiva:

  • Enquanto o veículo estiver parado e sem pretensões de movimento, evite manter luzes ou rádio ligados;
  • Evite que o carro não seja utilizado por um longo período de tempo, também — a falta de uso da bateria automotiva pode prejudicá-la;
  • Caso alguma função elétrica esteja falhando, convém visitar um mecânico — ou até mesmo trocar a bateria por uma nova;
  • Conferir, de vez em quando, se o compartimento da bateria possui algum tipo de amasso ou marca de impacto é importante — caso tenha, uma troca poderá ser necessário;
  • Comparecer a revisão de veículos sempre que necessário também é essencial, visto que a montadora deve manter o funcionamento do carro em ordem.

Quando é a hora certa de trocar uma bateria automotiva?

Como dito anteriormente, a bateria possui uma determinada vida útil que, quando superada, pode ser necessária uma troca. No entanto, sabemos que, na maioria dos casos, a bateria automotiva funciona por mais tempo do que os dois anos de vida útil estabelecidos pelo fabricante. Nesse caso, é necessário saber algumas informações para poder trocá-la.

As baterias para carro que estiverem com uma partida muito lenta pela manhã podem ser passíveis de troca. Mesmo que funcionem normalmente no resto do dia, esse é um forte indício de que está acontecendo a famosa “partida pesada”.

O fato de ser necessário desligar os aparelhos eletrônicos para ser mais fácil acionar o carro também pode ser um indício de que a bateria já está gasta. Rádio, ar-condicionado e luzes de freio são apenas alguns dos equipamentos que consomem energia elétrica e podem dificultar o funcionamento da bateria para realizar a partida do carro.

O que preciso saber para comprar uma nova bateria?

Recentemente, se tornou obrigatório o selo Inmetro em todas as baterias que forem comercializadas pelas montadoras. Portanto, perguntar ao vendedor se o produto em questão está certificado com o selo é necessário. Além disso, certifique-se de que o instalador tenha o conhecimento necessário para não prejudicar o seu veículo.

Seu carro possui uma bateria automotiva convencional e você deseja adquirir um automóvel que possua, ao menos, uma liga de prata? O lugar certo para vendê-lo é com a Instacarro! Sem dor de cabeça para você, vendemos o veículo em até uma hora e meia pelo melhor preço possível baseado no valor de mercado dele. Venha nos conhecer!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *