10 coisas importantes sobre a CNH eletrônica que você precisa saber

03/12/2018

Desde o início de 2018, com a chegada da CNH eletrônica, enfrentar problemas por esquecer esse documento em casa virou coisa do passado para muitos motoristas. A facilidade e a possibilidade de acesso por meio do smartphone tem como finalidade otimizar os procedimentos tanto para o condutor quanto para a fiscalização nas rodovias.

Outro fator positivo é que a CNH digital funciona como substituta para a carteira física. Por outro lado, ainda há uma baixa adesão por parte dos motoristas em alguns estados. Muitos ficam de fora de ter acesso a esse recurso prático por simples falta de informação.

Sendo assim, preparamos esse artigo especial com as orientações mais importantes e alguns esclarecimentos em relação a CNH eletrônica. Confira e fique por dentro do tema!

1. O que é a CNH eletrônica?

A CNH eletrônica ou CNH Digital é um aplicativo criado pelo SERPRO – Serviço Federal de Processamento de Dados para o DENATRAN com a finalidade de armazenar todos os dados contidos na CNH física.

Essa alternativa tem como finalidade ajudar o condutor em caso de necessidade, como ter esquecido a documentação em casa. Assim, ele poderá ter acesso a ela a qualquer momento e em qualquer lugar.

2. Quem pode pedir a CNH eletrônica?

A CNH eletrônica está à disposição daqueles motoristas que tem a versão impressa com o QR Code. Esse código escaneavel é encontrado nos documentos que foram emitidos a partir do mês de março do ano passado. É importante ressaltar que quem não tiver esse modelo tem duas alternativas: pagar para ter uma segunda via (que virá com o QR Code) ou aguardar até a próxima renovação de seu documento de habilitação.

Agora, se o motorista já tem cadastro no Sistema de Notificação Eletrônica, não precisa se recadastrar. Nesse caso, basta pedir a CNH eletrônica por meio do portal do Denatran com a senha que já possui.

3. Como faço para tirar a CNH eletrônica?

Alguns passos e requisitos são necessários para que o motorista possa ter acesso a CNH eletrônica. O primeiro deles é contar com a versão impressa mais atual, ou seja, aquela com QR Code.

Depois é necessário efetuar o cadastramento no Portal do Denatran ou se dirigir até um posto de atendimento do Detran. Esse último caso se aplica às pessoas que não tem o certificado digital. Aquelas que têm podem realizar todo o processo online. Mas vale lembrar que ele — o certificado — é pago.

O critério de cobrança pela CNH digital fica a cargo de cada estado. Por exemplo, em Goiás há uma taxa a ser paga enquanto no Rio Grande do Sul todo o processo é de graça.

Após essa etapa de cadastramento, o motorista deverá baixar o app da CNH eletrônica disponível nas lojas oficiais do Google e da Apple.

Para ter acesso ao aplicativo, será requerido o código de ativação. Esse dado é enviado pelo Denatran para o e-mail do condutor. Depois, é só criar uma senha de quatro dígitos para utilizar o app normalmente. De acordo com o Serpro, essa senha de quatro dígitos sempre será requerida para a visualização da CNH digital.

4. A CNH eletrônica é segura?

Sim. Isso quem afirma é o próprio Ministério das Cidades. Segundo o órgão há uma série de padrões técnicos que foram desenvolvidos com o objetivo de permitir o funcionamento de um sistema de criptografia, o que garantiria a validade e a segurança da CNH eletrônica.

Aliás, a autenticidade dessa versão da CNH pode ser feita por meio de duas formas já apontadas: leitura do QR Code e pela assinatura do certificado digital.

5. Se parar em uma blitz e não tiver internet?

Esse é um dos pontos mais legais sobre a versão digital da CNH: se não tiver sinal ela poderá ser usada off-line, sem nenhum problema. Na realidade, a internet somente é necessária no primeiro acesso.

Agora, se a situação for o celular sem bateria não tem jeito. A versão impressa deverá ser apresentada!

6. Se roubarem o meu smartphone?

Caso o celular com a CNH eletrônica for roubado, o usuário deverá efetuar o bloqueio do documento o mais rápido possível. Para os condutores que têm o certificado digital esse procedimento poderá ser feito no site do Denatran. Para quem não conta com esse documento é necessário dirigir-se a um posto de atendimento do Detran para efetuar o bloqueio.

7. É obrigatório o uso da CNH-e?

Essa é uma das dúvidas mais comuns. Não é obrigatório. Como apontamos a CNH digital foi desenvolvida para facilitar a vida dos motores e dos próprios serviços de trânsito. Ela funciona como substituta do documento físico.

8. Quais as principais vantagens da CNH-e?

Existem várias vantagens e se adotar esse modelo de habilitação. Entre os mais evidentes está a possibilidade de solicitar o documento em qualquer lugar. Ou seja, não há a necessidade de agendamentos ou perda de tempo enfrentando filas.

Além disso, o pedido pode ser feito com o certificado digital que funciona como uma assinatura virtual garantindo segurança no processo. No mais, temos tudo aquilo que já citamos até o momento: segurança, mobilidade, praticidade, rapidez e tecnologia de última geração!

9. O que acontece com quem esquece a CNH?

Como sabemos quem esquece a CNH está em desacordo com as leis e com isso fica sujeito a penalidades. Ainda assim, é uma infração considerada leve. A multa para esses casos é de R$88,38, retenção do carro até a apresentação do documento e três pontos na carteira.

10. A CNH impressa vai acabar?

Não. Como observamos a CNH eletrônica foi criado para substituir a versão impressa em situações específicas. Sendo assim, a impressa continua valendo e segue os padrões de emissão atuais do Detran.

A versão digital é um documento oficial, da mesma forma que a versão física. Logo, em qualquer parte do país que o motorista estiver ele poderá fazer uso desse documento de identificação sem nenhum tipo de problema.

Então, gostou de conhecer os principais detalhes sobre a CNH eletrônica? Aproveite e inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail muito mais dicas como essa.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *