5 RISCOS AO VENDER CARRO EM LOCAIS E CONTATOS DESCONHECIDOS

Pensou com calma e viu que a melhor forma de vender o seu carro é para um particular? Então é bom você entender os  riscos dessa operação!

Levar o carro em local desconhecido

O comprador pede para que você leve o carro até determinado local e aproveita o isolamento da região para praticar o roubo.

Você pode não ser pago pela venda.

Após o desconhecido conferir todo o veículo e confirmar que irá comprá-lo, o golpista alega ter feito o pagamento e que o dinheiro ainda não caiu na sua conta pela demora da confirmação do banco. Alguns até te entregam um comprovante da transferência falso. Resultado: você foi vítima de um golpe.

Você foi pago, mas não transferiram o documento

O comprador tem 30 dias para realizar a transferência do veículo, prazo que começa a valer a partir do dia em que foi feito o preenchimento do CRV. Mesmo assim o comprador não a fez. Resultado: se o comprador cometer infrações e o veículo ainda estiver no nome de quem vendeu, a responsabilidade cairá sobre o vendedor.

Você esqueceu de fazer a comunicação de venda e ele não transferiu o documento

Em alguns Estados, como o de São Paulo, a comunicação de venda é feita de forma automática pelos Cartórios assim que as firmas das assinaturas são reconhecidas no documento. No entanto, há regiões em que este processo ainda é manual e deve ser feito junto ao Detran. Ele é uma garantia de que, a partir desta data, o veículo não é mais seu e toda a responsabilidade é do novo comprador.

Você recebeu em dinheiro, mas era falso.

Muitos golpistas escolhem aquelas pessoas que estão precisando fechar a venda de forma rápida e que estão abaladas de alguma forma — doença, problema familiar, desemprego. Nestes casos, os golpistas se mostram solícitos e oferecem o pagamento rápido e em dinheiro. Você aceita, mas na hora de usá-lo descobre que é falso.

Para saber como fugir de golpes e como vender o seu veículo de forma segura, acesse: