Conheça os problemas mais comuns em veículos e como solucioná-los

05/12/2018

Quem nunca colocou a chave na Ignição e se deparou com problemas no veículo? Muitas vezes, por mais que o motorista seja cuidadoso, alguns sinais podem ter passado despercebidos e o carro pifou!

Os motivos para que isso tenha acontecido são os mais variados. Tudo pode fazer um carro parar de funcionar se os sintomas não forem tratados antes que o mal maior aconteça. Sim, o automóvel se assemelha ao corpo humano — ele diz que algo está errado e se o motorista não parar para verificar, tudo pode acontecer.

Por isso, ao pegar a direção é preciso estar atento não somente à documentação do veículo, mas também às condições dos seus componentes.

Mas, se você quer fugir das surpresas, leia este post até o fim e entenda quais são os principais sintomas e causas dos problemas que acometem o seu carro. Saiba também como evitar e solucionar os possíveis defeitos. Está preparado? Então, vamos fazer um check-up e diagnosticar as principais falhas que podem afetar o seu veículo!

Como identificar os problemas no veículo?

Entrar no carro, dar a partida e sair dirigindo é o que todo motorista quer diariamente. Porém, para que nada de errado aconteça nesse processo, é preciso estar sempre atento ao veículo. Por si só, o uso diário causa desgastes naturais no carro, mas eles podem ser potencializados caso o motorista não fique atento e tome cuidados preventivos.

Via de regra, ruídos, perda de potência e trepidações dizem tudo o que você precisa saber quando há problemas no veículo. Podemos subdividir os problemas que aparecem no seu carro em três setores: motor, câmbio e pneus. Que tal um panorama geral sobre as possíveis causas?

1. Motor

O painel de instrumentos do carro é o grande aliado para entender se algo de errado está acontecendo. Quando o veículo está com a sua temperatura alterada, além de aumentar o barulho da ventoinha de ventilação, o indicador no painel se altera, mostrando uma curva de aquecimento acima do normal. Na hora em que você observar essa alteração, a melhor coisa a fazer é parar o carro, deixar esfriar e verificar o nível de água no reservatório.

Outro problema comum é quando o carro começa a perder potência e falhar durante a direção. Isso pode ser causado pelo uso de combustível adulterado, problemas na bomba de injeção, velas e bicos injetores entupidos. A solução é parar em uma oficina mecânica e reparar as peças danificadas.

Todo carro com problemas apresenta sinais ao longo do tempo. Nada acontece por acaso, de um dia para o outro. Algumas falhas se apresentam inicialmente mais sutis, já outras são mais expressivas, mas os sinais não podem ser ignorados pelo motorista.

Fique sempre atento ao painel do seu carro. Ele é um excelente termômetro para você entender o que está acontecendo debaixo do capô. Dois sinais precisam ser sempre levados em consideração: luzes e ruídos. Vamos entender um pouco mais?

Luzes

São os sinais visuais mais evidentes de que algo de errado está acontecendo em um dos componentes do seu veículo. As luzes são indicadoras de função, alerta e problemas. Vamos entender os seus sinais a seguir.

Luzes verdes

Elas estão relacionadas aos faróis do carro e, por isso, só aparecem quando o dispositivo está ligado. Em alguns veículos, quando a luz alta está ligada, pode ser representada pelo indicativo de cor azul no painel.

Luzes amarelas

Via de regra, elas representam uma falha em algum dos componentes, porém, que não impedem o funcionamento do veículo. Confira alguns dos problemas que essas luzes indicam:

  • o sistema de freios do tipo ABS está apresentando falhas;
  • perda do controle de estabilidade por avarias no sistema;
  • falhas no sistema de injeção eletrônica;
  • problemas na direção hidráulica ou elétrica do veículo;
  • pressão incorreta dos pneus;
  • reservatório de combustível baixo (na reserva).

Luzes vermelhas

Representam falhas graves nos componentes do veículo que demandam a parada imediata. Em alguns casos, um triângulo com um ponto de exclamação ou a palavra “STOP”, ambos na cor vermelha, podem aparecer no painel como forma de advertência.

Em geral, esses sinais são acompanhados da luz amarela, que representa o componente que está apresentando problemas. Os principais são:

  • problemas no sistema de airbag;
  • fluido de freio apresentando baixo nível;
  • problemas no alternador ou falta de carga na bateria;
  • falhas no sistema de pressão de óleo do motor;
  • elevação do nível de temperatura;
  • instabilidade no sistema de imobilização;
  • falta de uso de cinto de segurança ou portas abertas.

Ruídos

Depois que você entendeu o funcionamento do painel de instrumentos do seu veículo, é preciso estar com os ouvidos preparados para interpretar possíveis problemas no veículo que possam estar acontecendo. Vamos entender alguns desses sinais.

Ruído agudo quando pisa no freio

Qualquer assovio que vem das rodas quando você pisa nos freios é um sinal claro de que algo está errado nas pastilhas de freio. Se você acabou de trocar, pode ser que precise fazer uma manutenção porque o item não está se adaptando. Agora, se o barulho se assemelha ao bater em ferro, é porque a pastilha está acabando ou chegou ao fim. Ao ouvir esse ruído, é preciso verificar o que está acontecendo.

Ruído contínuo durante a direção

Quando você está trafegando com o carro e ouve um ruído contínuo vindo das rodas, tudo indica que os rolamentos das rodas estejam danificados.

Barulhos ao fazer curvas em baixa velocidade

A dificuldade de fazer a curva aliada ao pneu cantando quando está em baixa velocidade demonstra que o carro não está alinhado de forma correta. Isso gera um desgaste excessivo dos pneus e o aumento do consumo de combustível.

Ruídos e estalos ao passar por obstáculos

Quando você passa por buracos ou lombadas e o carro apresenta um rangido na suspensão, é sinal de que os componentes desse sistema podem estar danificados. Se você não fizer a revisão e a troca das peças, ao longo do tempo, isso pode causar danos graves na suspensão do veículo.

Ao notar qualquer barulho fora da rotina enquanto você dirige, o mais indicado é procurar uma oficina mecânica o quanto antes para identificar qual componente está apresentando falhas. Por vezes, é melhor substituir as peças quando elas estão apresentando defeitos inicialmente do que prejudicar o automóvel como um todo.

2. Câmbio

As trocas de marcha costumam ser suaves e não apresentar qualquer tipo de barulho. Se algo não está correto, passa a arranhar e causar ruídos estranhos. Isso costuma acontecer devido ao desgaste na caixa de câmbio, que é ocasionado não somente pelo tempo de uso, mas pela maneira como o motorista dirige.

Quando o condutor tem o hábito de repousar o pé sobre a embreagem enquanto dirige, ou então, não pisa até o fundo do pedal quando vai fazer a troca de marchas, aos poucos, isso vai danificando a caixa de câmbio. Com isso, as marchas podem escapar, arranhar na passagem e fazer barulho durante o uso.

3. Pneus

Sapatos ruins machucam os pés? Pela mesma analogia, os pneus ruins causam problemas no veículo. Não acredite que o grande prejuízo é quando fura um pneu. Se você não cuidar dessa peça, o uso incorreto diário pode trazer perdas ainda maiores.

Os pneus são parte fundamental da aderência do veículo ao solo e têm a função de manter a estabilidade do carro. Se eles não estiverem em bom estado, podem ser os responsáveis por um grave acidente, por exemplo. Portanto, verifique o estado dos pneus e não prolongue seu uso para além de 60 mil quilômetros rodados. Se estiverem carecas, faça a substituição antes do previsto para garantir a segurança.

A partir desses setores de subdivisão do carro, outros componentes devem ser observados pelo motorista cotidianamente para evitar problemas no veículo. Depois de entender de uma forma geral, vamos mostrar agora tudo que você precisa saber sobre as peças e sistemas que compõem o seu veículo e como mantê-las sempre em perfeito estado de funcionamento. Preparado para a imersão neste conteúdo? Então, vamos lá!

Quais os problemas mais comuns e as soluções para eles?

1. Falha nos amortecedores

Quando você está dirigindo o seu veículo e sente trepidações no volante, barulhos ao passar por obstáculos e até mesmo a instabilidade nas retas e curvas, tudo isso indica problemas no sistema de suspensão do seu carro.

amortecedor é o responsável por absorver o impacto do peso do veículo em relação ao atrito com o solo. Por isso, quando esses sintomas aparecem, é preciso verificar rapidamente se os amortecedores estão desgastados ou quebrados e substituir as peças. Normalmente, sua vida útil não ultrapassa 10 mil quilômetros rodados, mas, dependendo do uso, pode durar muito menos.

Evite terrenos que sejam esburacados, reduza a velocidade ao passar por lombadas e obstáculos e, sobretudo, nunca freie o carro quando estiver passando por esses locais, pois isso causará problemas graves na sua direção e amortecedores.

2. Pneus desgastados ou danificados

Qualquer falha ou problemas nos pneus podem representar risco. Por isso, verifique se estão carecas ou com irregularidades em sua superfície — isso diminui a aderência com o solo.

Na parte interna, se o alinhamento e geometria não estiverem corretos, o desgaste é maior e pode ocasionar a ruptura da borracha. Calibre os pneus na pressão correta pelo menos a cada 15 dias. Quando estão murchos, desgastam com maior facilidade, causam o aumento do consumo de combustível, dificultam a direção e a estabilidade do veículo.

Lembre-se: a troca do pneu deve ocorrer em pares, dianteiros ou traseiros e a cada 60 mil quilômetros rodados. Não brinque com o perigo — pneu desgastado dificulta a frenagem e a estabilização do carro!

3. Falta de água no radiador

Isso ocorre quando o nível de água está baixo e, por isso, o radiador não consegue manter a temperatura do motor em uma média de 92°C. Quando a temperatura se eleva, é preciso que a água circule dentro do componente para resfriar o motor, senão pode fundir a peça e o prejuízo é enorme.

Para se prevenir, é preciso que o motorista verifique rotineiramente o nível de água no reservatório. Se apresentar um nível baixo em períodos curtos de tempo, é sinal de que algo está acontecendo. Tendo isso em vista, verifique se as mangueiras que ligam o reservatório ao motor estão estufadas ou com rachaduras. Isso pode ser sinal de vazamento.

Além do mais, fique sempre de olho no painel, pois, se o ponteiro que marca a temperatura se elevar até a parte vermelha, é preciso parar o carro imediatamente e acionar um guincho para ir até a oficina mais próxima.

4. Tensão na correia dentada

Esse pode ser considerado um problema gravíssimo para o seu automóvel. A correia dentada é responsável pelo movimento do motor. Se elas não funcionarem corretamente, o motor trava e pode fundir imediatamente.

Por isso, a cada 50 mil quilômetros, é preciso fazer a substituição da peça. Porém, durante as revisões programadas, é necessária a verificação do estado de conservação da peça. Se algum dente estiver desgastado ou se rachaduras na borracha forem identificadas, o ideal é substituir a peça.

A correia dentada também apresenta ruídos quando não está funcionando corretamente. Assovios altos e finos são identificados quando o carro está em movimento, sendo causados pelo atrito do motor. Ao menor sinal de problemas, pare o veículo e faça a manutenção necessária.

5. Falta de óleo na caixa de direção hidráulica

Com a direção hidráulica, não é preciso fazer força para virar o volante do carro. Caso isso esteja acontecendo, é um sinal claro de problemas. Se você está escutando ruídos ao movimentar o volante, possivelmente, o nível de óleo não está correto. Assim, a lubrificação é insuficiente e isso está causando atrito entre as peças.

A cada 10 mil quilômetros ou nas revisões programadas, é preciso fazer a troca de óleo da caixa de direção. Ao longo desse período, é preciso ficar atento a vazamentos e possíveis barulhos que possam significar problemas nesse componente.

6. Problemas no motor

Quando você dá a partida no carro e nada funciona, isso é um sinal de problemas no veículo, não é mesmo? Mas, nessas horas, o que é preciso verificar para tentar entender o que está acontecendo? Separamos um guia simples e fácil para você entender o que acontece com o seu veículo nessa situação. Vamos lá?

Combustível e o painel de instrumentos

Se você gira a chave e a luz do combustível ou até mesmo o símbolo de uma chave se acende, isso pode estar ocasionando problemas que impedem que o carro ligue. A falta de combustível para injeção no motor faz com que o carro não ligue. Se a chave é codificada e, por algum motivo o sensor não conseguiu identificar esse código, o carro também não ligará.

Bateria

Ao virar a chave na partida, é preciso que a bateria seja acionada para que o carro ligue. Se isso não acontecer, provavelmente, você vai ficar parado na rua! Por isso, fique sempre atento e verifique se o carro está dando sinais de dificuldade de ligar corriqueiramente, se as luzes internas ficam fracas e depois acendem.

Isso é um típico sinal de que a bateria está desgastada. Nesse caso, se as luzes do painel acendem, mas o carro não liga, é preciso acionar a assistência ou substituir a bateria.

Ignição

Quando você vira a chave para ligar o carro e não faz nenhum barulho na partida, pode ser um sinal de que o interruptor de Ignição está queimado. Se isso está acontecendo no seu veículo, o mais correto é guinchar o carro até uma oficina mecânica para a substituição da peça.

Velas de Ignição

Quando você dá a partida no carro, tudo parece funcionar corretamente, mas o carro não liga? Verifique se as velas estão sujas ou soltas. É fácil! Basta tirar as velas e limpar com um pano seco e recolocá-las no lugar. Verifique se o encaixe está correto e se elas estão bem presas. Isso causa mau contato e, assim, impedem que o carro ligue.

Alarmes

Sim, esse pode ser um vilão para o seu carro. Quando o alarme não vem de fábrica e é instalado fora da concessionária, a falta de atenção na conexão de cabos pode fazer o seu veículo parar na rua a qualquer momento.

Os cabos do alarme são conectados em um módulo — o mesmo que guarda os dados de alimentação do combustível. Por uma sobrecarga no sistema, ele pode ser danificado e, com isso, o carro para de funcionar.

7. Problemas no câmbio

Chamado de câmbio, o sistema de transmissão de marchas do carro é o responsável por movimentar o veículo. A utilização do automóvel, por si só, promove um desgaste natural das peças que compõem esse sistema. Por isso, é preciso fazer o uso correto e garantir a manutenção periódica desse sistema para prolongar sua vida útil.

Os sinais de problemas são:

  • as marchas arranham durante a troca;
  • barulhos ao pisar na embreagem;
  • as marchas escapam das suas posições;
  • trepidações ao arrancar com o carro;
  • alavanca do câmbio se movimenta sozinha, mesmo com o veículo parado.

Se esses problemas no veículo aparecerem, a melhor opção não é fazer a venda de carro usado e sim procurar o conserto o mais rápido possível para não ter prejuízos maiores. Esse é o tipo de componente em que as falhas podem ser detectadas com um simples teste de direção.

8. Problemas elétricos

Você já ouviu falar em pane elétrica? São componentes do sistema que estão apresentando falhas e impedem que o veículo funcione corretamente e, em alguns casos, pare por completo. Para ajudar você a entender, separamos alguns dos problemas mais comuns.

Bateria

Se o motor é o coração do carro, a bateria é o músculo responsável pela energia. Em razão disso, a descarga desse componente pode causar a pane elétrica e fazer o veículo parar de funcionar. Isso acontece não somente pelo desgaste da vida útil, mas ao esquecer luzes e acessórios ligados consumindo energia, e pela falha de conexão dos cabos nos polos.

Se a bateria do seu carro “arriou”, mas ainda está segurando carga, é preciso de outra bateria para produzir a eletricidade necessária para ligar o alternador do seu veículo e, assim, conseguir fazer a recarga da sua bateria. Mas, se o componente não é capaz de segurar energia, é preciso fazer a troca imediata para recuperar o funcionamento do veículo.

Fusíveis

Qualquer sobrecarga elétrica pode danificar o fusível do seu carro, evitando que os componentes sejam atingidos. Por isso, se o farol não acende, as luzes de freio não são acionadas ou os piscas não funcionam, é preciso fazer a troca desse pequeno item.

Velas de Ignição

As velas e os cabos da Ignição compõem o sistema elétrico e são responsáveis pela faísca que vai promover a partida do motor. Se as velas e cabos estiveram sujos, mal encaixadas ou até mesmo queimados, o carro não vai ligar.

Por que prevenir é melhor do que remediar?

Escutamos essa frase desde a infância, não é mesmo? Nossos pais dizem isso quando precisamos tomar cuidado com o que estamos fazendo. E, quando o assunto é carro, esse ditado precisa ser cumprido à risca.

Não espere que o seu veículo esteja com vários problemas para, então, achar a melhor solução: vender um carro usado! Isso só fará você perder dinheiro e não contribui para que entenda como evitar os mesmos prejuízos para o seu próximo automóvel.

Os veículos novos saem de fábrica com as revisões programadas para os seus 3 primeiros anos de vida útil. Depois disso, cabe ao proprietário fazer a manutenção preventiva ao menos a cada 6 meses e quando surgirem possíveis falhas ao longo desse período. Um carro que passa por constante revisão tende a apresentar menos problemas.

Por isso, se você for optar pela compra de um carro usado, antes da transferência do veículo, faça um bom check-up e procure a opinião de profissionais de confiança. Depois que você está com o carro na garagem, você precisará resolver qualquer problema que surgir para poder circular com o veículo. Então, a dica é ficar sempre de olho no veículo, como ficamos com o nosso corpo. As peças precisam funcionar e, assim, tudo fluirá de forma tranquila durante a utilização.

E aí, curtiu este manual sobre como entender os problemas no veículo? Então, não deixe de ler mais um texto importante para manter seu carro sempre novo? Leia agora mesmo “Lavagem de carro: 6 dicas para deixar o seu carro como se fosse novo!” e não deixe de cuidar do visual do seu veículo!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *