Quilometragem de carro: entenda como ela afeta a venda do seu usado

17/07/2019

Muita gente ao adquirir um veículo seminovo ou usado nem percebe o quanto ele já rodou. A quilometragem de carro conta muito sobre seu histórico e de seus componentes, sem falar nas manutenções programadas para que tudo esteja funcionando em perfeitas condições. Perceba que todo profissional de vendas sempre dará ênfase ao falar sobre o assunto, mostrando a você, cliente, que mesmo com a quilometragem alta, o veículo ainda é a melhor escolha.

Falaremos mais sobre quilometragem de carro neste artigo. Prossiga na leitura e confira alguns fatores que você precisa saber antes de comercializar o seu veículo ou de adquirir outro modelo.

Como a quilometragem de carro pode afetar sua comercialização?

É importante entender que o brasileiro usa cada vez mais o carro para ir a todo lugar, não importa onde: padaria, supermercado, para levar as crianças até a escola ou apenas para relaxar fazendo um passeio pelo bairro. Andar à pé tornou-se um desafio para muitos!

Sendo assim, é fácil compreender que, quanto mais o veículo rodar, maior será sua quilometragem. Aí vem uma questão que muitos não observam ao comprar ou vender um veículo: um carro com três anos de uso — sendo que, em média, o brasileiro roda cerca de 17,5 mil quilômetros por ano — terá 52,5 mil quilômetros rodados.

Ao comercializar um veículo com ano de fabricação de 2017, por exemplo, é quase impossível encontrar uma quilometragem abaixo de 50 mil. Portanto, verifique se outros fatores como mecânica, manutenções programadas e a própria aparência externa estejam em condições para somar às negociações futuras.

Como identificar um carro seminovo ou usado?

Para muitos comerciantes do ramo automobilístico, a propaganda do seminovo é bastante utilizada como indicativo de “troca certa”: troque o seu usado pelo seminovo da “x” veículos! Mas como saber se o seu carro já é considerado usado ou ainda é um seminovo? Vejamos.

Um carro novo, ao sair da concessionária, já é considerado seminovo. Este, por sua vez, tem apenas três anos com esse título. Ou seja, com base no que foi dito no tópico acima, esse veículo já rodou cerca de 52,5 mil quilômetros e com quatro anos já é considerado usado.

Entre quatro e doze anos, a quilometragem do carro varia de acordo com seu uso, mas ainda será considerado usado. Só a partir de treze anos que seu veículo será considerado “velhinho”. Um carro usado também pode ser identificado a partir da quilometragem acima de 70 mil, levando em conta a rodagem anual média de 17,5 mil.

Tem como saber se a quilometragem foi adulterada?

É difícil acreditar que ainda existam pessoas capazes de realizar tamanha façanha para concretizar uma venda, mas da mesma forma que foi criado um aparelho para adulterar a quilometragem do carro, também foi desenvolvido um aparelho que identifica tal adulteração.

O problema é que, a olho nu, torna-se impossível identificar esse tipo de fraude. Por isso, é importantíssimo procurar profissionais mecânicos e revendedoras especializadas antes de fechar o negócio. Dê sempre a preferência a quem é reconhecido no mercado!

Verifique o manual do proprietário com as revisões programadas. Isso dará uma noção maior sobre a quilometragem que o veículo apresenta com base nas manutenções realizadas e nas datas em que foram feitas. Não se esqueça de pedir para seu mecânico confirmar com o aparelho de escanear veículos porque assim será possível detectar a adulteração.

Quais outros fatores devem ser observados além da quilometragem?

Outros fatores que você deve observar além da quilometragem são importantíssimos para decidir bem no momento da compra: o histórico das manutenções programadas e o funcionamento do motor, a dirigibilidade e o sistema de direção (caso apresente folgas e endurecimento), possíveis avarias ou ferrugens na lataria e pneus.

Condições de conservação da área interna e externa do veículo podem ser mascaradas para garantir a comercialização, portanto, fique atento às colunas das portas e ao capô. Não se esqueça de verificar a documentação e os laudos emitidos sobre o carro.

Uma quilometragem baixa não é sinônimo de conservação do veículo. Saiba onde seus amigos compraram seus carros e pesquise muito antes de fechar o negócio. Caso queira trocar de modelo, busque parceiros profissionais que sejam especializados nesse tipo de negociação para não sofrer com um mau negócio.

É fácil comercializar um veículo com a quilometragem alta?

Comercializar um veículo não é tão fácil. Sempre haverá uma pessoa querendo comprar um carro e alguém pensando em vender. O problema é unir esses indivíduos e chegar a um acordo que satisfaça as duas partes. Quem quer comprar um seminovo também deseja encontrar um carro de baixa quilometragem.

Aquele que está com um veículo seminovo que apresenta a quilometragem acima de 70 mil também encontra problemas para comercializar. Por isso, as dicas citadas ajudarão você a tomar a decisão certa no momento da compra. Visite o nosso site para saber como podemos ajudar com isso!

Mantenha sempre seu veículo em perfeitas condições de uso para que suas chances também sejam boas ao apresentar a proposta para aqueles que estão à procura de bons negócios. Lembre-se de que quilometragem de carro alta não é sinônimo de desgaste ou descuido de seu proprietário. Portanto, procure sempre se informar com profissionais da área para que o ajudem com a venda.

Qual é a quilometragem ideal para comprar ou vender um carro?

Os carros com maior demanda são aqueles que têm uma quilometragem mais baixa, mas isso é devido à ideia de que as peças que compõem a mecânica do carro ainda não precisaram ou nunca foram substituídas. E é aí que mora o perigo!

Imagine um veículo que, segundo seu proprietário anterior, nunca precisou de manutenção? Agora pense em quem terá de realizar as manutenções futuras… Você! Por isso, verificar o histórico e a procedência do carro é indispensável no momento da negociação.

Então, qual quilometragem de carro é a ideal para comercializar? Se você deseja um seminovo, é interessante observar se a quilometragem está abaixo de 70 mil ou próximo de 60 mil. Caso queira um veículo usado, observe o ano e as condições de conservação. Lembre-se da base de cálculo anual de rodagem por quilômetro em 17,5 mil, multiplique pelo tempo de fabricação e você terá uma base plausível.

Gostou das dicas? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de mais informações sobre o mundo automobilístico.

Powered by Rock Convert

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *