Teste: JAC T50 Plus 2022 é bom? Saiba tudo sobre o SUV aqui
frente do jac t50 plus

Teste: JAC T50 Plus 2022 é bom? Saiba tudo sobre o SUV aqui

O JAC T50 Plus 2022 é bom? Se você já se perguntou isso, saiba que ele passou por facelift recente, ficou mais moderno e tem mais itens de série, mas ainda tem pontos de melhorias.

A JAC Motors chegou ao Brasil em 2010 com uma missão clara: trazer veículos “completos de fábrica” pelo preço de veículos básicos.

cta blog venda seu carro

Naquela época era normal ver carros vendidos sem direção assistida ou ar-condicionado, e quer queira, quer não, a chegada do hatch J3 e do sedã J3 Turin fizeram com que a concorrência se mexesse.

Se isso foi algo bom ou não, a verdade é que de lá para cá as montadoras se mexeram e carros “pelados” foram sumindo aos poucos. Ao mesmo tempo, as versões mais baratas e acessíveis sumiram junto e os carros começaram a ficar mais caros (mas isso é assunto para outra conversa).

Ao longo dos anos a JAC Motors experimentou bem o mercado automotivo brasileiro, primeiro como o interessante subcompacto J2 (e que eu particularmente sempre achei melhor que os concorrentes Renault Kwid e Fiat Mobi), mas que morreu cedo (2012-2016), e depois com o seu primeiro SUV, o T5.

Apresentado ao público em 2016, o JAC T5 tinha a missão de ser um rival à altura dos líderes de mercado Jeep Renegade, Honda HR-V, Nissan Kicks e Hyundai Creta. Para isso, apostava em mais espaço e, como todo JAC, uma lista extensa de itens de série.

Mas ele nunca atingiu seu objetivo. Em 2019 o T5 virou T50 e recebeu melhorias no visual, no acabamento e maior oferta de itens de série, mas ainda assim sequer apareceu no relatório mensal de vendas da Fenabrave. E assim permanece desde então.

Este ano o SUV recebeu mais um facelift, dessa vez mais agressivo e novamente agregou mais itens de série, ganhou um sobrenome “Plus” e também melhorou o acabamento interno, mas será que chegou a hora de enfim o JAC T50 Plus performar bem no mercado? É o que vamos descobrir nas próximas linhas.

O que mudou no JAC T50?

Se compararmos o JAC T50 Plus com o antigo T5 as diferenças são claras. A começar pelo preço: na época do seu lançamento, com dólar lá embaixo e um cenário econômico diferente, o T5 custava módicos R$59.990, mais barato que o Renault Kwid Outsider hoje em dia, que custa a partir de R$60.290.

O atual T50 Plus tem preços a partir de R$117.990, um valor salgado se olharmos para o passado, mas bem próximo das versões de entrada dos SUV’s concorrentes: Jeep Renegade (R$110.000), Honda HR-V (R$118.300), Hyundai Novo Creta (R$111.890) e Nissan Kicks (R$105.990).

A motorização também mudou, o JAC T5 chegou ao mercado em 2016 com motorização 1.5 Flex e câmbio manual, e na versão de topo, entregava itens como freio a disco nas quatro rodas, bancos em couro, luzes de condução diurna em LED, assistente de partida em rampa, ar-condicionado digital, entre outros.

Ainda no mesmo ano, o SUV ganhou uma versão com câmbio automático do tipo CVT, o primeiro da marca com essa variação e com preços que chegavam a R$73.990.

Mas foi somente após o seu primeiro facelift em 2019, quando ele virou T50, que tive a primeira oportunidade de testá-lo, na época para o meu site “Naccar – Auto e Notícias”. 

Os destaques da avaliação foram a troca para o motor 1.6 16V de 138 cv e 17,1 kgfm (o aspirado mais potente do mercado nacional), e a boa lista de itens de série, mas pecava pelo câmbio com respostas lentas, pela suspensão extremamente macia e o pelo visual que, ao meu ver, não era agradável.

Agora, em sua nova versão lançada em 2021, podemos afirmar que o T50 Plus evoluiu em quase todos os quesitos.

JAC T50 é bom no design?

A começar pelo design, ele continua sendo polêmico e não vai agradar a todos, mas vejo ele com melhores olhos do que no passado. Aliás, cheguei a ouvir uns “que carro bonito” em algumas oportunidades. 

A frente antiga, que era excessivamente longa, deixava o T50 desengonçado. Parecia uma minivan que tinha uma traseira que “acabava antes da hora”. 

Com o facelift atual, o conjunto ficou mais equilibrado e o principal destaque fica à cargo dos novos faróis principais e luzes diurnas em “dois andares”, que lembram o conceito utilizado na Fiat Toro.

frente do jac t50 plus

A nova grade de formato hexagonal tem frisos cromados e estrutura em preto brilhante e tornam o conjunto mais homogêneo.

De lado, o acabamento plástico que nasce no para-choque dianteiro contorna todo o veículo, suas caixas de roda e vai ao para-choque traseiro, que é inteiro em plástico preto e dá a sensação de que o conjunto é mais alto do que realmente é. Nele ficam abrigadas as luzes de neblina e de ré.

lateral do jac t50 plus

Completam o visual as barras longitudinais do teto e retrovisores grandes com luzes repetidoras de seta.

Ah, antes que eu me esqueça, as rodas de 16 polegadas continuam parecendo muito pequenas para o porte do carro, mas as caixas de roda também são pequenas, fato que dificulta um ampliação nesse quesito.

rodas 16 polegadas, jac t50 plus

Por dentro, o primeiro impacto visual está na enorme tela de 10,25” da central multimídia, que possui acesso através de botões ou em sua tela sensível ao toque. Mas a boa impressão foi quebrada ao notar que a do veículo cedido para nós apresentava defeito e não pôde ser testada com todos os seus recursos, como a conectividade com celulares pelo Android Auto ou Apple CarPlay.

central multimídia, jac t50 plus

Voltando aos detalhes visuais, o painel mescla tipos de acabamentos, com destaque para materiais que imitam aço escovado, fibra de carbono e para o couro. O computador de bordo também teve melhoria no visual e está todo em português, ao contrário do antigo que mesclava várias funções sem tradução do chinês.

painel de instrumentos, jac t50 plus

Há ainda vários porta-copos distribuídos pela cabine, um apoio de braço central, teto-solar elétrico, maçanetas cromadas e bancos com revestimento em couro com a já tradicional costura vermelha, que também aparece no console central e no volante multifuncional.

Ainda falando no interior, o espaço interno do T50 Plus é bom e todos os ocupantes viajam bem. Há espaço suficiente para as pernas nos bancos traseiros e a boa altura da cabeça para o teto dá uma boa sensação de conforto. 

Motor e câmbio

O JAC T50 Plus 2022 manteve o mesmo conjunto de motor e câmbio, fato que deixa sua manutenção mais simples e unifica as peças entre os anos.

Assim, permanecem o 1.6 16V DVVT a gasolina de 138 cv e 17,1 kgfm e o câmbio CVT que simula seis marchas.

Este câmbio tem o já tradicional modo automático, quando selecionado o “D”, uma função Sport, quando selecionamos o “S” e uma função de trocas manuais, quando o condutor usa as funções +/- na alavanca.

Apesar de não mudar o conjunto, a calibração parece melhor do que era na versão anterior quando eu testei para o Naccar. As trocas ficaram mais suaves e há um melhor aproveitamento de torque, principalmente em ultrapassagens e em subidas de rampas.

Mas é justamente nas rampas que o T50 Plus mostra uma fragilidade que eu já tinha notado na versão antiga: se o câmbio estiver em D, você estiver com o pé direito no freio e tirá-lo para acelerar o veículo, o SUV fica solto e “volta”.

Isso é perigoso, primeiro porque há a possibilidade de choque com um veículo que esteja atrás, segundo porque o condutor pode assustar e acelerar abruptamente o veículo para evitar esse retorno e assim bater em um carro que esteja à frente, por exemplo.

Aí você me pergunta: como uma coisa dessas acontece? E eu te respondo: o câmbio CVT usa embreagem multidisco banhada a óleo no acoplamento com o motor ao invés do tradicional conversor de torque. E é justamente este conjunto que apresenta demora para “acoplar”.

O espaço entre tirar o pé do freio e acelerar o veículo deixa o câmbio “em neutro”, as rodas ficam livres e ele acaba voltando um pouco, mesmo possuindo assistente de partida em rampa (que deveria segurá-lo nestas situações). 

Como estratégia para evitar esse problema, use o bom e velho freio de mão ou treine o pé esquerdo para usar no freio. Ambos solucionarão este comportamento torto do T50 Plus.

T50 Plus na cidade

A posição elevada de direção permite que andar pelo trânsito urbano seja uma tarefa simples e agradável. Os grandes retrovisores ajudam em manobras e todos os comandos ficam à mão.

Para o meu gosto, a direção eletroassistida, mesmo sendo progressiva, é muito leve e isso me deixa sem a sensação de que tenho o veículo totalmente à mão. 

Os freios a disco nas quatro rodas são bons e passam segurança. Já a suspensão repete o comportamento excessivamente macio e que eu não gosto e faz com que a carroceria balance muito em ruas com asfalto irregular, por exemplo.

T50 Plus na estrada

Na estrada o JAC T50 Plus acentua os comportamentos citados na cidade: volante muito leve, algo que você acostuma, mas de início estranha em mudanças de faixa, por exemplo, e a tal suspensão muito macia.

A suspensão macia demais faz a carroceria do veículo rolar em direção contrária à curva, mesmo com você dirigindo dentro dos limites regulamentados para a via. 

Os freios, assim como na cidade, funcionam bem em todas as ocasiões.

Na estrada a função Sport ajuda e muito nas ultrapassagens e o piloto automático torna a viagem ainda mais confortável. 

JAC T50 Plus 2022 – consumo

Com o motor 1.6 que bebe somente gasolina, o JAC T50 Plus teve consumo médio de 9,2 km/l dentro da cidade, sempre com trânsito pesado, em trajeto com bastante subidas e descidas e com ar-condicionado ligado o tempo todo.

Na estrada o consumo foi melhor: 11,2 km/l, também com o ar-condicionado ligado todo o trajeto.

Versões do JAC T50 Plus 2022

O SUV médio da JAC Motors é vendido em duas versões no Brasil, onde há diferenças importantes na lista de itens de série:

  • JAC T50 Pack 2 1.6 CVT 2022: destacam-se chave presencial do tipo Keyless, fechamento dos vidros por comando na chave, destravamento de portas e porta-malas pela chave, alerta para localização do veículo, faróis diurnos em LED, faróis com regulagem de altura, lanterna de neblina na traseira, luzes de conversão estáticas (acendem no lado interno ao de uma curva, para melhorar a visão do motorista), vidros elétricos, travas elétricas, desembaçador traseiro, limpador traseiro, rodas de liga leve aro 16, painel com acabamento em couro, computador de bordo, retrovisor interno antiofuscante, volante multifuncional, tomada 12V, porta óculos, apoio de braço central, alarme, freios ABS com EBD, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, sistema de monitoramento de pressão dos pneus, seis airbags, Isofix, câmera 360°, ar-condicionado digital, central multimídia de 10,25”, direção eletroassistida e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros.
  • JAC T50 Pack 3 1.6 CVT 2022: além dos itens mencionados acima, acrescentam-se rebatimento elétrico dos retrovisores, faróis automáticos, rack de teto, antena externa tipo “barbatana”, bancos e volante com revestimento em couro, banco do motorista com ajuste manual de até 6 posições, câmera de ré e piloto automático.

Conclusão

O JAC T50 Plus evoluiu muito desde quando chegou ao Brasil ainda como T5, mas ele ainda peca em pontos fundamentais, como por exemplo não ter mecânica Flex. Com o aumento dos combustíveis, ter um carro somente a gasolina pode pesar no bolso. 

Além disso, foi decepcionante não poder testar um dos principais atributos do carro, que é sua central multimídia de 10,25”. A unidade que foi cedida para nós pela própria JAC Motors apresentava defeito. 

O T50 Plus 2022 ficou mais bonito, tem um acabamento mais alinhado com o que o brasileiro gosta e tem uma generosa lista de itens de série, e estes são os seus maiores atributos.

Mas ser macio demais, para quem dirige nem sempre é bom, mas os demais ocupantes do carro devem gostar muito de viajar dentro dele.

Galeria de fotos

JAC T50 2022 – ficha técnica

Motor1.6 DVVT
TipoDianteiro, tranversal, gasolina
Número de cilindros4 em linha
Cilindrada em cm31.590
Válvulas16
Taxa de compressão10,5:1
Injeção eletrônica de combustívelMultiponto
Potência Máxima138 cv a 6.000 rpm
Torque Máximo17,1 kgfm a 4.000 rpm
Transmissão
TipoAutomática do tipo CVT com seis marchas simuladas
Tração
TipoDianteira
Freios
TipoDisco ventilado na dianteira e disco sólido na traseira
Direção
TipoElétrica
Suspensão
DianteiraIndependente, McPherson
TraseiraEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasLiga-leve de 16 polegadas
Pneus205/55 R16
Dimensões
Comprimento total (mm)4.345
Largura sem retrovisores (mm)1.765
Altura (mm)1.640
Distância entre os eixos (mm)2.560
Capacidades
Porta-malas (litros)400
Tanque (litros)45
Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)950
Peso em ordem de marcha (kg)1.320
Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)ND

Posts relacionados

Tesla Model Y é o carro mais vendido do mundo, veja o ranking

Tesla Model Y é o carro mais vendido do mundo, veja o ranking

Em levantamento em mais de 115 países, Tesla Model Y desbanca Corolla e se torna carro mais vendido do mundo,…
Carros que parecem ter sido feitos no Minecraft

Carros que parecem ter sido feitos no Minecraft

Conheça alguns modelos de carros que parecem ter saído do Minecraft, um dos jogos de videogame mais famosos do mundo…
Fiat Grand Panda: modelo antecipa o sucessor do Argo no Brasil

Fiat Grand Panda: modelo antecipa o sucessor do Argo no Brasil

Fiat revela o Grand Panda, o sucessor dos modelos Argo e Mobi, inspirado no Citroën C3 A Fiat prepara um…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *