Direção defensiva: o que é e quando usá-la
Seguro do carro por quilômetro rodado - homem e mulher felizes dentro de um carro - curso de direção defensiva

Direção defensiva: o que é e quando usá-la

Você sabe o que é direção defensiva e para que ela serve? Entenda mais sobre o assunto e quando você deve usá-la.

Em busca de um trânsito mais seguro, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determinou, em 2005, que a formação de condutores deveria incluir o tema “direção defensiva” em sua carga horária.

cta blog venda seu carro

A direção defensiva é, de acordo com o manual do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a melhor maneira de dirigir e se comportar no trânsito. É como se fosse um “Manual de instruções” que o condutor deve seguir ao dirigir e a melhor maneira de seguir a legislação veicular

Por meio da direção defensiva, o condutor irá reconhecer antecipadamente as situações de perigo, prever suas consequências e estar preparado para tomar decisões que protejam os ocupantes dos veículos e os demais usuários da via.

Hoje, existem dois tipos de direção defensiva que são abordados nos cursos de autoescolas: a preventiva e a corretiva. A preventiva basicamente é tudo aquilo que o condutor deve fazer para antecipar qualquer risco. 

Já a direção defensiva corretiva, por sua vez, é aquela exigida quando o condutor precisa agir com rapidez para corrigir uma situação de perigo que não pode ser antecipada. 

O contrário da direção defensiva é a direção agressiva. O condutor que coloca a sua vida em risco, assim como a de outras pessoas, pode apresentar atenção fixa (dirigir olhando apenas para um ponto), atenção dispersiva (não se concentra na atividade) e atenção difusa (está focado em paisagens e ou atividades que não são a direção).

Curso de direção defensiva

No curso de direção defensiva são abordados os temas: 

  • Conceito de direção defensiva;
  • Conduzindo em condições adversas;
  • Conduzindo em situações de risco (cruzamentos e curvas, ultrapassagens, frenagem normal e de emergência, derrapagem e ondulações e buracos);
  • Como evitar acidentes em veículos de duas ou mais rodas;
  • Abordagem teórica da condução de motocicletas com passageiro e ou cargas;
  • Cuidados com os demais usuários da via;
  • Respeito mútuo entre condutores;
  • Equipamentos de segurança do condutor motociclista;
  • Estado físico e mental do condutor, conseqüências da ingestão e consumo de bebida alcoólica e substâncias psicoativas;
  • Situações de risco. 

O que fazer (ou não) em uma direção defensiva

A primeira dica para ter uma direção defensiva é estar posicionado corretamente no banco do motorista. A direção defensiva prega que o condutor deve dirigir com os braços ligeiramente dobrados, o encosto de cabeça na altura correta e a coluna apoiada no banco. E como obrigatoriedade, é necessário utilizar calçados fixos nos pés e o cinto de segurança em qualquer situação.

O uso do retrovisor é essencial na direção defensiva, pois você precisa saber tudo que está acontecendo ao seu redor. Por meio dos retrovisores, você consegue prever situações de perigo e encontrar saídas. Para garantir ainda mais segurança, aprenda como regular os retrovisores corretamente.

A concentração também é um fator importante. Você deve estar presente em sua direção a todo momento. Cada minuto no trânsito importa. Para se ter uma ideia, a 80 quilômetros por hora, por exemplo, um veículo percorre 22 metros em um único segundo.

Os condutores têm a obrigação de dirigir numa velocidade compatível com as condições da via, considerando tráfego, clima, obstáculos e aglomeração de pessoas.

Por isso, por exemplo, antes de fazer uma curva, desacelere. Nessas situações, movimente o volante o menos que puder para evitar movimentos bruscos e oscilações na direção. Ao perceber declives, teste os freios e mantenha o câmbio engatado. Respeite sempre a sinalização de ultrapassagens.

Principalmente na estrada, qualquer estreitamento de pista aumenta o risco de acidentes. Nessas horas, a direção defensiva entende que o motorista deve reduzir a velocidade sempre que perceber uma sinalização que indique a mudança na via.

Problemas como ondulações, buracos, elevações, inclinações ou alterações do tipo de piso  podem desestabilizar um veículo e provocar a perda de controle. Ao perceber antecipadamente essas ocorrências, reduza a velocidade, usando os freios.

Por último, fique de olho nas condições climáticas. Em caso de chuva, por exemplo, acione a luz baixa do farol, aumente a distância até o próximo veículo, reduza a velocidade e evite freadas bruscas. Também mantenha o pneu em bom estado para evitar aquaplanagem. 

Posts relacionados

Novo Nissan Sentra 2025 chega ao Brasil, veja preço e equipamentos

Novo Nissan Sentra 2025 chega ao Brasil, veja preço e equipamentos

O novo Nissan Sentra 2025 foi lançado em duas versões, sendo a opção de entrada Advance com o preço inicial…
Conhecendo a coleção de carros de Pedro Pascal

Conhecendo a coleção de carros de Pedro Pascal

Que tal conhecer um pouco da garagem do astro de Hollywood chileno Pedro Pascal? Pedro Pascal, aclamado ator chileno, não…
Chuvas no RS causam R$ 1,3 bilhão em indenizações para seguradoras

Chuvas no RS causam R$ 1,3 bilhão em indenizações para seguradoras

Levantamento Confederação Nacional das Seguradoras mostra que por causa das chuvas no RS, o maior valor já pago no setor…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *