Suspensão do carro: entenda quando fazer uma revisão
O que revisar em um carro novo - sistema de suspensão

Suspensão do carro: entenda quando fazer uma revisão

Encarregado de trazer conforto e segurança aos ocupantes, a suspensão é um principais sistema do carro, por isso é importante entender quando é hora de realizar a revisão

Além do motor, talvez a seja a suspensão o sistema mais importante do conjunto veicular de qualquer modelo. Porém, muita gente fica com dúvida quando é hora de realizar uma revisão sem que seja quando a situação já esteja grave.

cta blog venda seu carro

Antes de tudo, é importante entender o que é, de fato, a suspensão, e como ela funciona para sustentar o veículo. Todo modelo possui um chassi, que é uma base para o motor e  todos os sistemas embarcados, logo, a carroceria é a estrutura que envolve o carro, encaixada sobre o chassi.

Ambas partes se localizam de forma suspensa no ar, pois o contato direto do veículo com o solo é feito pelos pneus. Entre a parte estrutural suspensa e os pneus está a famosa suspensão, composta pelos amortecedores e molas. Há também os braços, barra estabilizadora, pivôs, bandejas, buchas e bielas.

Principais funções da suspensão

O que revisar em um carro novo - sistema de suspensão

Como dito acima, a suspensão tem papel fundamental na ligação entre o chassi e as rodas, absorvendo a energia gerada em cada irregularidade na via onde o carro está transitando, para que o motorista ou passageiro não sinta os trancos e solavancos.

Além disso, ao tempo que a suspensão assegura uma experiência mais confortável ao condutor e seus passageiros, o sistema precisa garantir a aderência entre o veículo e a pista sejam maximizadas.

Manutenção preventiva

suspensão de carro manutenção

Manter uma boa manutenção preventiva é muito importante para evitar prejuízos maiores futuramente. Para realizá-las, escolha um mecânico de confiança ou uma boa indicação, já que um bom profissional faz toda a diferença. 

A manutenção dos itens da suspensão é feita quando há desgaste das peças, por isso, se o mecânico inferir a troca apenas se baseando na quilometragem rodada, desconfie. Além disso, jamais aceite ofertas de peças recondicionadas, que costumam ser mais baratas. 

Os principais sinais de que há algo comprometido no sistema de suspensão são ruídos ou impactos acentuados ao passar por vias esburacadas, lombadas ou valetas; vazamentos de óleo; e desgaste irregular em algum dos pneus.

O que checar na revisão?

Os especialistas indicam que se realize uma checagem geral de todos os itens do sistema de suspensão e direção, já que em caso de problemas, estes interferem diretamente na estabilidade e dirigibilidade do veículo, causando riscos de acidentes. 

Verificar com seu mecânico se ele olhou as buchas, coxins e batentes é importante, pois se comprometidos, esses itens prejudicam o bom desempenho da suspensão. Já amortecedores com problemas podem danificar outras peças antes do fim da vida útil do item. 

Melhor prevenir do que remediar

Ao usar o veículo, tenha em mente que a melhor manutenção preventiva para o sistema de suspensão é o uso adequado do carro no dia a dia. Adote um estilo de direção que preserve ao máximo o seu veículo das irregularidades das vias, além de sempre desviar, se possível, de buracos nas estradas. 

Passe devagar em lombadas e se o obstáculo for uma valeta comprida, passe de forma lateral, com uma roda de cada vez. Sobre o peso extra, só leve quando for realmente necessário, pois o excesso de peso cotidiano pode levar a diminuição da vida útil das peças da suspensão.

E quando é a hora de trocar a suspensão?

Apesar da manutenção preventiva existir, é necessário trocar as peças da suspensão de tempos em tempos. Quando se fala que precisa trocar a suspensão, não se trata do sistema inteiro, mas sim de itens específicos, que possuem vidas úteis diferentes entre si. 

As principais trocas são as dos amortecedores, que vão se desgastando e param de funcionar corretamente com o tempo. Dirigir com amortecedores desgastados representa um grande risco à segurança do trânsito. A estabilidade fica comprometida e há mais risco de capotagem em curvas.

Para saber quando é a hora de trocar, a dica é seguir o que o fabricante do amortecedor indica e sempre realizar revisões periódicas na suspensão do carro, para que o mecânico avalie se chegou momento de substituir o item ou algum dos componentes auxiliares, como os pivôs e buchas.

Normalmente, a média necessária para revisão desses componentes é de 40 mil quilômetros rodados. Tenha em mente que isso é uma média, já que alguns carros são mais expostos do que outros, o que interfere nesse dado. 

Siga os sinais

Além do diagnóstico técnico, fique atento com os sinais que o carro e o sistema de suspensão dão no dia a dia. Fique atento sempre que aparecer algum ruído estranho ou oscilações anormais. Um veículo com amortecedores danificados também costuma balançar bastante.

Dá pra consertar uma suspensão quebrada?

Uma pergunta bem comum é sobre a possibilidade de conserto quando algum item do sistema de suspensão quebrou. A resposta é: depende do tipo de defeito e da peça. 

Como exemplo, em uma batida forte, provavelmente o eixo do carro é entortado, o que pode levar à perda total do carro. Um conserto nesse caso não apenas seria inviável pelo valor, mas nunca conseguiria deixar o carro como era antes da batida.

Posts relacionados

Novo Polo Rock in Rio: VW lança versão especial, confira

Novo Polo Rock in Rio: VW lança versão especial, confira

Em comemoração aos 40 anos do festival Rock in Rio, a Volkswagen lança uma edição especial do Polo Track A…
Lexus ES 300h e NX 350h chegam em 2025 com novidades

Lexus ES 300h e NX 350h chegam em 2025 com novidades

Modelos híbridos da Lexus ES 300h e NX 350h recebem novos equipamentos como sistema de som Mark Levinson e carregador…
Stellantis investe de R$ 3 bilhões no Brasil para produção de carro

Stellantis investe de R$ 3 bilhões no Brasil para produção de carro

Investimento da Stellantis em Porto Real terá foco na plataforma CMP do C3 e C3 AirCross, mas Jeep Avenger pode…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *