Correia dentada: saiba quando e por que é importante trocar
correia dentada revisão

Correia dentada: saiba quando e por que é importante trocar

Quando a correia dentada é danificada ou se rompe, há danos graves para o carro. Saiba o que fazer para evitar que isso aconteça!

Muitos não fazem ideia, mas a correia dentada é um dos componentes mais importantes de um carro. Afinal, ela ajuda no funcionamento do motor e transmite energia para as rodas. Quando ela se rompe, há grandes chances de o estrago ser tão grande que não compensa consertar.

cta blog venda seu carro

Ou, na melhor das hipóteses, o conserto fique bastante caro. Então, é essencial saber quando é preciso trocar a correia.

Neste post, você vai entender melhor qual é a função dessa peça no carro, o que fazer para manter sua vida útil e, ainda, qual é a hora certa de substituí-la por outra. Boa leitura!

Afinal, o que é correia dentada?

correia dentada 2

O carro pode ter até 4 correias dentadas, sendo elas:

  • de direção hidráulica;
  • dentada do motor;
  • do ar condicionado;
  • do alternador.

Vale lembrar que elas não são iguais. Isso porque, dependendo da sua função, o comprimento e a largura podem variar bastante. Assim como há inúmeros modelos de carros, também há uma grande variedade de tipos de correias dentadas. E neste post, vamos focar na correia dentada do motor, que é a mais importante.

Também chamada de correia de distribuição, é feita em material emborrachado e bastante flexível. Além disso, conta com pequenos dentes de borracha na parte interna para se fixar às peças e poder movimentá-las no tempo certo.

Sua principal função é sincronizar o movimento entre o virabrequim e o eixo-comando das válvulas. Isto é, a correia garante o deslocamento correto dos pistões nos cilindros e o fechamento das válvulas na hora certa. Em outras palavras, ela protege a válvula dentro do cilindro, evitando problemas com a segurança do carro e com o funcionamento do motor.

Caso contrário, as válvulas podem empenar, furar a cabeça do pistão, quebrar o bloco, entortar o cabeçote e, até mesmo, exigir a retífica do motor. Em alguns casos, como já comentamos, o valor do conserto pode não valer a pena. Além disso, a correia também permite que as explosões de queima de combustível movimentem o carro.

E como ela funciona?

correia dentada 1

Como já comentamos, a função da correia dentada é controlar os movimentos das válvulas e dos pistões. Desse modo, o movimento coordenado ajuda a repassar a força do motor para movimentar as rodas do veículo. Além do mais, quando essas peças funcionam da maneira correta, permitem que o carro se desloque com segurança.

Então, é a correia que liga o comando das válvulas ao virabrequim do motor, fazendo com que tanto das válvulas de admissão quanto do escapamento abram e fechem no momento certo. E como o virabrequim é o responsável por passar a força do motor para as rodas, se esses movimentos não forem bem coordenados, o carro não funciona.

A correia é feita de um aglomerado de lonas, que formam um material não inflamável. Contudo, é normal haver desgaste com o tempo. Porém, se ela não for trocada no tempo correto, pode arrebentar. Caso ela rompa enquanto o carro estiver em movimento, as válvulas param, os pistões se chocam com algumas delas. Como resultado, o motor para de funcionar.

Os mecânicos costumam chamar isso de “morte instantânea”. O termo não é dramático à toa, pois a extensão dos problemas pode ser grave e inutilizar algumas peças, sendo necessária sua troca, não podendo haver apenas conserto. Isso também justifica o custo alto do reparo.

Se o motor estiver com uma rotação alta no momento em que a correia dentada se romper, o impacto das peças é tão grande que pode até quebrar os pistões. Em casos assim, pode ser necessário fazer a retífica completa do motor, o que pode custar aproximadamente R$ 4 mil para um motor 1.0, por exemplo.

Então, como evitar que a correia dentada se rompa?

correia dentada 3

Um dos principais cuidados para evitar o rompimento da correia é realizar a troca respeitando sempre as recomendações do manual de cada veículo. Em geral, essa substituição é feita a cada 50 mil km ou a cada 3 anos. A seguir, confira outras dicas para preservar a vida útil da correia.

Faça revisão

Mesmo que você siga rigorosamente as recomendações do fabricante sobre a troca da correia, o ideal é revisá-la periodicamente. O recomendado é fazer uma revisão a cada 10 mil km de todo o conjunto de distribuição, que inclui a correia dentada, polias e tensionadores.

No entanto, se você adquiriu um carro seminovo e não sabe como estão as condições da correia, procure um profissional para avaliar. Outro importante é que uma correia nova tem vida útil bem longa, podendo chegar a 100 mil km rodados.

Em média, uma nova pode custar R$ 300. Mas, de todo modo, é muito mais barata que a substituição das peças caso ela se rompa.

Cuide ao trocar marchas

Se você demorar a acelerar depois que passar a marcha, há um tranco no motor e isso prejudica diretamente a correia dentada. Isso porque se o giro do motor está alto e a frenagem não for a correta para diminuir a velocidade da maneira certa, vai causar a distensão da correia. E se isso for feito com frequência, poderá rompê-la.

Não faça o carro pegar no tranco

Forçar o giro com mais intensidade do motor, também pode fazer a correia arrebentar. Além disso, fazer o carro pegar no tranco também faz com que haja uma injeção maior de combustível no catalisador, danificando-o. Nesses casos, o ideal é chamar um profissional ou rebocar o carro até uma oficina.

Como saber se é necessário trocar a correia dentada?

correia dentada carro manutencao

Quem dirige o mesmo veículo há um tempo, percebe facilmente qualquer alteração nos ruídos, vibração, consumo de combustível e perda de potência. Esses pontos podem indicar que a correia está com problema. Atualmente, os fabricantes têm feito correias bastante resistentes, porém menos ruidosas. E isso pode dificultar a identificação de que ela pode estar com problema.

Por esse motivo, conforme a gente já comentou, o ideal é fazer revisões periódicas além das recomendadas pelo fabricante. Assim, o segredo é fazer trocas preventivas.

Alguns fabricantes voltaram a utilizar correias metálicas no lugar das correias dentadas emborrachadas, principalmente em motores menores e segmentos de entrada. A vantagem é que sua vida útil passa a 150 mil km.

Outros têm preferido a corrente de comando, que é projetada para não precisar ser substituída durante toda a vida útil do motor. Por sua vez, há também o que chamamos de correia banhada ou embebida em óleo.

Portanto, a correia dentada é um componente indispensável para o funcionamento do motor e para que você dirija com segurança. Como o rompimento pode gerar grandes prejuízos, é fundamental que você mantenha as revisões em dia e sempre conte com uma oficina de confiança para realizar a manutenção e possíveis trocas.

Quer saber mais sobre o universo automobilístico? Então, aproveite a visita no blog e entenda a diferença entre motor turbo e aspirado. Boa leitura!

Posts relacionados

Carros que parecem ter sido feitos no Minecraft

Carros que parecem ter sido feitos no Minecraft

Conheça alguns modelos de carros que parecem ter saído do Minecraft, um dos jogos de videogame mais famosos do mundo…
Fiat Grand Panda: modelo antecipa o sucessor do Argo no Brasil

Fiat Grand Panda: modelo antecipa o sucessor do Argo no Brasil

Fiat revela o Grand Panda, o sucessor dos modelos Argo e Mobi, inspirado no Citroën C3 A Fiat prepara um…
GWM Haval H6 PHEV19 chega ao Brasil por R$ 229 mil

GWM Haval H6 PHEV19 chega ao Brasil por R$ 229 mil

 O novo SUV GWM Haval H6 chega ao mercado com preço promocional e a autonomia puramente eletrica revelada: 74 km A…

One Comment

  1. Valdir Santos

    Boa dica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *